12 de junho de 2015

{Resenha} A Guerra dos Tronos - Livro 1

Olá meus queridos! Tudo bem com vocês? Hoje trago uma resenha de um livro que achei fenomenal. Aliás, fenomenal é o mínimo para descrever. E detalhe, o li quando pedi empresto com um amigo do curso que eu fazia. Venho com "A Guerra dos Tronos", o primeiro da série das Crônicas de Gelo e Fogo. Vamos lá?

Número de Páginas: 592
Editora no Brasil: Leya 
Ano de publicação: 2010
Sinopse: Quando Eddard Stark, lorde do castelo de Winterfell, aceita a prestigiada posição de Mão do Rei oferecida pelo velho amigo, o rei Robert Baratheon, não desconfia que sua vida está prestes a ruir em sucessivas tragédias. Sabe-se que Lorde Stark aceitou a proposta porque desconfia que o dono anterior do título fora envenenado pela manipuladora rainha - uma cruel mulher do clã Lannister - e sua intenção é proteger o rei. Mas ter como inimigo os Lannister pode ser fatal: a ambição dessa família pelo poder parece não ter limites e o rei corre grande perigo. Agora, sozinho na corte, Eddard percebe que não só o rei está em apuros, mas também ele e toda sua família.

Surpreendente. Chamativo. Curioso. Bem elaborado. Tremendamente bem feito. Esplêndido e espetacular. Top de linha. O melhor do que o gênero oferece. Fabuloso. Estas são apenas algumas palavras que expressam minhas emoções com esta leitura. Juro a vocês que já peguei o livro para ler na intenção de que acharia algo magistral e de muito valor literário, porém me surpreendi demais. Deveras épico. A forma com que o George R. R. Martin é minucioso nos detalhes (passagens, diálogos, situações) chega a nos modelar de maneira propicia e saborosa num gênero fantasioso que poucos curtem e encaram.

A cada novo capítulo (com um ponto de vista de respectivo personagem específico) o autor vem trazendo os acontecimentos da trama de maneira instigantes e bem dinâmica. Enquanto lia não consegui ficar sem ler ao menos o início de um outro capítulo. Foi uma magia incrível, melhor dizendo.

São muitos personagens. Muitos reinos, palácios, monstros (humanos ou não) com funções comuns, chatas, maravilhosas, venenosas e/ou específicas. Damas, nobres, seres sobrenaturais (Os Outros, gigantes, mamutes, dragões), desertores, príncipes e rainhas (nobres ou não), espiões, homens de honra tolos e valentes (tão poucos) nos são apresentados nesta trama. Há sempre um presságio, uma história, uma lenda, um mito, um trágico acontecimento que nos instiga a ir mais à fundo. Há bastante ação. Quem é fã de conflitos internos, dramas entre serpentes e conspirações é um prato cheio.

Desde as primeiras linhas o autor me prendeu. E algum lugar li (há um bom tempo atrás) que livros com mapas são os melhores. E de fato é. Personagens bobos e arrisco dizer, bem ingênuos à principio, aos poucos trazem uma bagagem que os muda completamente. Faz parte do poder do autor de dando vida aos personagens, os amadurece ao longo da história. Há alguns acontecimentos trágicos que moldam toda nossa perspectiva. Não há completos vilões, muito menos completos bonzinhos. Alguns personagens me mostraram uma face, uma reação totalmente contra do que eu acreditei que ele faria. Houveram algumas surpresas. Nos próximos volumes tenho certeza que continuarei me agradando desta evolução.

O livro inteiro é maravilhoso, todos os capítulos - na minha humilde opinião - fez o livro ser grandioso como o é. Mas confesso que amei muito mais dos capítulos do Jon (por conta da muralha e de toda misticidade dos seres para além da grande muralha de gelo) e sem dúvidas os capítulos da Daenerys (Toda a magia dos selvagens fortes e família de dragões). Me deixaram mais sem fôlego do que os capítulos do Bran e Ned, por exemplo.

É um livro recheado de informações valiosas. Eu já tinha assistido todas as quatro temporadas lançadas da HBO na época. Ou seja, já tinha em mente mais ou menos o que poderia acontecer. Eu quis ler para ver mesmo como o autor teria encaixado tudo aquilo que é mostrado na TV. E gostei. Escrita estupenda e bem astuta. Já fui assimilando os personagens do livro aos atores do seriado de TV. Tive uma leve noção de como eles seriam na cabeça do R. R. Martin e suas detalhadas descrições.

O universo criado pelo autor nos traz um livro bem feito e sem dúvidas que ficará para as futuras gerações como um presente honrado. Vou ler os próximos volumes e já sei um pouco o que esperar, pois - me julguem - amo spoolers e de propósito fico procurando como as histórias irão terminar. Já sei de muitos finais, porém quero sentir o gostinho da leitura passo a passo. Eu posso saber de tudo sobre tal leitura, mas leio para ter a satisfação de sentir minhas próprias emoções e produzir minhas próprias opiniões. Não gosto de arrumar desculpas. É ler e pronto.

Eu poderia ficar dizendo milhares de detalhes comprometedores e encher vocês de cada passagem que ocorre na trama. Mas não o farei. Darei o melhor conselho de todos: leiam. Vocês estão perdendo esta maravilha por ter mais de quinhentas páginas. Ah pessoal, por gentileza. Não percam mais nenhum segundo sequer. Destrinchem esta saborosa estória. Ah, sim. Confirmando o que eu já tinha lido há uns meses, realmente o seriado é bem fiel ao livro. Pelo menos a 1 temporada é bem fiel. Vale muito a pena. Alguns personagens me irritaram, mas consideravelmente bem poucos. Os engoli.

O George tem uma maneira bem grosseira de nos deixar desgostosos, pois cada vez mais que ele se aprofunda em determinado fato, mas ele deixa para cavar... vou ser sincero com vocês. Eu mataria (não) para ter mais informações dos Outros e o que existe para lá das muralhas, HAHAHAHAHAHA. Mas isto é proza para outros volumes e outras resenhas. Procurei não falar tanto assim, pelo menos algo que iria comprometer a leitura de vocês. Só posso dizer que a Guerra dos Tronos pode ser fatal e injusta para quem tenta brincar com ela. Quem não estiver comprometido com a sua própria guerra irá perecer e levar os seus junto consigo. Não há piedade. A vida é real e cruel. Os homens são maus e o inverno realmente está chegando. Os Starks (principalmente) o sabem bem.

Vou dar um pequeno spoiler, um trecho na verdade, o último do livro. É de torar o coração e soltar aquele palavrão aclamado. Leiam só: "Quando Daenerys Targaryen se levantou, seu dragão negro silvou, com fumaça clara saindo da boca e das narinas. Os outros dois afastaram-se dos seios e somaram suas vozes ao chamamento, com asas translúcidas abrindo-se e agitando o ar, e pela primeira vez em centenas de anos a noite ganhou vida com a música dos dragões."

Foi de abalar as estruturas, hahahaha. Se possível terminem de ler esta resenha e comecem a mergulhar nesta fantasia divina. Ops, quase divina. Selvagens, deuses, corvos de três olhos e céticos que vestem negro... de tudo a gente pode encontrar, é só saber olhar nas entrelinhas certas. Ah, e é uma ótima leitura para os solteiros de plantão nesse dia dos namorados, hein? HAHAHAHA Boa leitura!

Livro com link direto para o skoob, aqui.
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

6 comentários:

  1. Oi, Ewerton! Tudo bem?
    Sou suspeita para falar dos livros do Martin, sou apaixonada por "As Crônicas de Gelo e Fogo" e fico muito impressionada com a mente criativa do autor, com o equilíbrio entre magia e política que ele soube dosar e com as entrelinhas e minúcias da história. Definitivamente, é um dos meus livros favoritos da vida! Também estou super curiosa para saber o que irá acontecer, espero que ele não demore muito para liberar o próximo livro viu... Abç
    Jéssica - http://lereincrivel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Demais! Ele é um gênio na escrita fantástica na minha humilde opinião. Ele escreve aquela literatura típica que amo. Típica no sentido de ser RICA em detalhes, passagens, segredos, e muitas e muitas páginas bem construidas para chegar a um objetivo que seja chocar o leitor. Pois é, é aquele tipo de livro que a gente faz questão de ter na estante e reler. Mesmo tendo muitas páginas e capítulo, isso vira um mero detalhe para uma estória tão fabulosa e extraordinária. Obrigado pela linda presença por aqui, vem mais vezes <3

      Excluir
  2. Oi, Ewerton!
    Quando o autor sugeriu que a série teria 7 livros, eu desisti. Levando em consideração que A Dance with Dragons levou 6 anos para ser escrita e o autor tem hoje 67 anos, não sei haverá um "fim". Essa lentidão fez com que surgisse uma sequencia do primeiro volume escrita por Cat Taylor, autor do blog “Making of Game of Thrones”. Como sempre faço com séries, só leio depois que toda ela está escrita. Bom saber que gostou do primeiro volume!
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo perfeitamente sua posição querida Luma! Em alguns casos também faço exatamente isto.. espero a finalização completa para dar início. Mas confesso que nesta saga, fiz questão - mesmo sabendo que pode não ter um fim por parte do autor, hahahaha - de começar a ler. Quando li esse primeiro livro fiquei tão encantado com a escrita e majestade da história escrita que fiquei sem palavras. Amo muito literatura fantástica, se não for a minha predileta, já que leio de tudo. Tudo mesmo. Então assim... neste caso, mesmo sem ter um fim, vou continuar lendo e vamos torcer para que o autor termine todos os volumes antes de algo pior como muitos vem especulando, rs. Obrigado pela presença por aqui, você já pode voltar mais vezes, abraços! <3

      Excluir
  3. Ola! Tudo bem?
    Esse livro parece interesante e tenho vontade de lê-lo.
    Gostei muito da sua resenha.
    Beijos e boas leituras! :)
    http://abracalibro.blogspot.com.es

    ResponderExcluir

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.