9 de junho de 2015

Sobre dedicação e produtividade nos estudos

<3

Quando se trata de estudar, já fico animado só de tocar no assunto. Sempre gostei muito de estudar, porém nem sempre o fiz. Posso dizer que hoje em dia é o tempo que eu mais tenho estudado. Esse ano, especificamente. Por conta do vestibular (em que estou encarando com seriedade agora) tenho me dedicado bastante às videoaulas, textos e à escrita. É sobre a dedicação e a produtividade nos estudos que quero conversar com vocês hoje. 

Desde minha infância nunca tive o aquela pressão nos estudos, pelo contrário, meus pais não eram pais de pedir para ver o caderno, fazer as atividades que vinham da escola, nem muito menos me obrigar a ficar uma tarde inteira na cadeira depois da escola. Nunca puxaram tanto meu lado, pois sabiam que eu passaria ano após ano. Não podia reprovar e qualquer problema que surgisse na escola, estavam presentes e resolvendo. Isso bastou. Creio que os pais da grande maioria fossem assim. Dito isto, nunca tive uma preocupação exagerada, nem muito menos era o nerd da sala. Porém, sempre fui bastante inteligente e não tinha assuntos que eu tivesse dificuldade.

Fui crescendo e quando terminei o ensino médio a pouco tempo, lá em 2012, senti o peso da minha não dedicação. Passei na escola, nunca reprovei nenhum ano, sempre fiz muitas amizades, mas isso não fez eu me dedicar mais e passar num vestibular. Vejo que muitos anos perdi simplesmente porque não me interessei em estudar além da prova tal matéria. Hoje sinto o peso de não ter sido tão cobrado. De não ter me envolvido tanto com os estudos. 

Sempre fui muito autodidata, vejo uma aula (presencial ou não) e já aprendo de primeira. Reviso e anoto pouquíssimas coisas como complemento em cima do que já estudei. De 2012 para cá sempre adiei meu sonho para medicina e creio que vou "adiar" mais um pouquinho por conta de algumas situações. Comecei em maio do ano passado a estudar para o vestibular, mas espero que esse ano de 2015 eu passe de vez. Já iniciei uma faculdade de Engenharia com o pretexto de fugir da área da saúde que creio que nasci para exercer. Foram alguns meses "perdidos". Também sai do emprego para me dedicar integralmente aos estudos do vestibular. Tive esse privilégio. No ENEM desse ano verei o quanto meu esforço rendeu. 

Todos sabemos que devemos nos dedicar nos estudos de forma fiel e colocar como prioridade os estudos quando vamos fazer alguma prova ou seleção importante. Nesse país, infelizmente, não podemos contar com políticos para nos colocar dentro de uma universidade ou fazer aquela viagem dos sonhos tudo pago. Isso é minoria. Sabemos desde pequenos (quem não nasceu rico, talvez) que devemos estudar, estudar e estudar para ser alguém ou ter algo na vida. 

Hoje em dia, o acesso à educação melhorou bastante. Tem muita facilidade, até livros velhos e usados que estão no lixo, servem como base para alguns estudantes mais carentes. Só basta ter força de vontade e um sonho de mudar de vida. Tenho me dedicado bastante. Já vi todo o cronograma do ENEM e agora no segundo semestre vou revisar bastante e fazer bastante exercício para fixar de vez os conceitos das matérias.

Se dedicar aos estudos nem sempre é fácil. Um dia você esta super motivado e estuda o dia inteiro. Outro você pode não estar da mesma maneira e já não render tanto assim. Meu conselho é o conselho universal: se motive. Procure motivação até no lugar mais improvável. Leia depoimentos, lembre de histórias, ache aquilo que você quer conquistar e imprima fotos e cole na sua frente, na parede do seu quarto, onde der. Só não esqueça das tuas motivações. 

Tenho no meu quarto (que é meu local de estudos) uma mesa estilo prateleira (sem gavetas ou corpo extenso) onde tenho frases motivacionais coladas e na parede à minha frente tenho fotos da Universidade que vou entrar, de alguns bens que preciso conquistar através dos estudos e outras motivações pessoais. Isso me dá uma energia nos dias em que estou sem querer tocar em um caderno. Faça o mesmo: ache uma maneira de relembrar sua(s) motivação(ões) todos os dias. 

Creio que motivação está intimamente ligada à produtividade nos estudos. É óbvio que quando você está muito mais certeiro e motivado com seus objetivos, a produtividade flui bem melhor e talvez até mais ágil. Uma lição que tenho aprendido com estes meses de estudos é: tenha paciência. A dedicação a longo prazo certamente não trará resultados imediatos, mas sem dúvida alguma trará dádivas no futuro. Muitas vezes fico impaciente, estressado e sem querer acreditar em nada. São nesses momentos que faço alguma atividade física, deixo de estudar por algumas horas, assisto algo que me relaxe e ao mesmo tempo me dê uma injeção de ânimo e volto com absurda disposição depois. 

Se você arrastar sua preocupação e ansiedade durante o dia todo, é provável que você arraste esse sentimento, pelo restante da sua semana. E assim acabe realmente se prejudicando. Todos os dias estudo, mesmo que seja um pouquinho. Posso não estudar todas as horas do meu cronograma de estudos num dia, mas estudo pelo menos duas ou três matérias para não perder o gosto. Isso é tão certeiro para mim quanto ter que beber água. Ou você estuda um pouco todo dia (se possível, sem arrumar desculpas e compromissos banais) ou você não revisa, não aprende conteúdos novos e muito menos tem saco para sentar, parar e estudar. 

Para conseguir maior produtividade e ficar com aquela sensação de que estou fazendo o certo, que o estudo está rendendo, faço algo simples mas que é essencial: tenho a quinta-feira como dia de revisão. Reviso, reviso e reviso todas as matérias e consequentemente todos os assuntos das matérias que vi durante a semana. Faço semanalmente essa revisão e de dois em dois meses outra revisão mais geral do mês anterior. Estou testando isso e está dando muito certo. Como esse segundo semestre estou mais revisando do que estudando (como disse lá em início do texto), essa tarefa de revisar se torna mais um reforço. 

É incrível revisar e sentir que aprendi alguma coisa. O que mais me frustra nos estudos é quando estudo algo e fico com a comum sensação de que não aprendi nada e que não irei lembrar na hora da prova. Isso é muito desanimador! Quando reviso, não fico com a sensação pois consigo lembrar com mais facilidade o que estudei. É um processo básico, mas necessário por demais. De forma mais geral vejo que meu desempenho individual e como autodidata está rendendo melhor a cada dia. Como tudo no início, foi desafiador cumprir o cronograma e ficar concentrado na cadeira desde o começo. 

Eu sempre soube que o verdadeiro aluno, é realmente aquele que estuda sozinho. O que faz a diferença mesmo é quando está só você e seu livro. A individualidade nos estudos rende ótimos frutos e o quanto antes que se descobre isto, mais longe se vai. Estou aprendendo agora como estudar e exercitar meu cérebro sozinho. Quando aprendemos o gosto que é estudar, nunca mais temos planos para deixar essa prática maravilhosa. 

Termino por aqui algumas reflexões e uns fatos sobre a produtividade e dedicação nos estudos. Espero não ter divagado, pois quanto mais escrevemos sobre esse assunto, mais vem à tona e pende para direções diversas. Ao longo dos meses vou falando para vocês mais sobre minha rotina de estudos e como tenho me dedicado. Hoje mesmo, estou mudando todo o meu cronograma e horário de estudos. Fazendo algumas alterações no horário, detalhes que para mim, farão toda diferença. E assim vou levando. Esse post "focou" mais nos meus estudos para o vestibular, em breve terão mais posts sobre estudos dos mais diversos segmentos. Aguardem.

Pergunto a vocês: como vocês se motivam e se dedicam aos estudos? Têm estudado muito ultimamente? Vou adorar conversar com vocês sobre isso. Se possível, falem de suas rotinas de estudos, vou adorar saber! Grande abraço queridos!

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.