3 de julho de 2015

Garotos e garotas que leem. Onde vocês estão?

Aqui na minha atual cidade, mesmo conhecendo muitos meninos e meninas (demais até), poucos são os que vejo ler ou que dizem ler. A maioria não curte ler ou simplesmente acha isso uma total perda de tempo (o que sabemos piamente que não é, nem de longe). Senti falta de compartilhar e debater sobre as minhas leituras com meus amigos, o que se torna impossível, pois só querem falar de relacionamentos, futebol, games, passeios para beber, etc. Não que isso seja desnecessário, pois amo socializar, mas ai que pergunto: e o tempinho dos livros? Onde está? Será que todo dia é tão difícil separar uns minutinhos, uma hora para ler um bom livro?

Os poucos que conheço estão longe de mim e nem para se encontrar é difícil. Os leitores que compartilham minha opinião são em sua maioria do outro lado da tela do computador. É triste não é? Mas ainda assim é bom. Pois não falo ao vento sobre as minhas leituras, rs. 
É comum vermos leitores esplêndidos longe de nós, um em cada canto do país e do mundo, sendo necessariamente “obrigados” a criar um blog literário (ou não) para poder partilhar de suas leituras e opiniões. Muitos blogueiros começaram assim: “Não tenho para quem falar sobre minha impressão do mundo e leituras, então criarei um blog, nele acho pessoas interessadas pelos livros.” CANSEI de ver e ouvir esse tipo de frase ser dita por blogueiros até famosos em relatos de início de carreira blogueira.
 
No meu meio familiar e de relacionamento não há leitores válidos. Dois ou três, no máximo. Digo a vocês, incentivem seus amigos e familiares à leitura. Já arrastei muitos e muitas os mandando ler um romance, uma fantasia, cada um se descobre um gosto diferente. Se você já insiste, insista mais (mas não pareça um lunático por leitura, por mais que você seja, pelo menos não no início, hahahaha).
Não é do dia para a noite que irão tornar-se leitores de livros  imensos (tanto em conteúdo, quanto em páginas). Então paciência (a sua principalmente) vai fazer toda a diferença.Uma matéria, um conto, e assim por diante, aos poucos cada um vai tomando gosto pela leitura naquilo que mais se interessar. Há tantos gêneros nas letras, posso dizer assim, que fica difícil saber para que lado os nossos conhecidos vão pender. Deixe eles se descobrirem na leitura. Se quisermos ver mais garotos e garotas que leem, devemos plantar essa sementinha de conhecimento, de gosto pela leitura. Poucos são os que leem e poucos mais ainda são os que criam blogs para dizer o que leem e deixam de ler.

Eu poderia me estender e falar mais e mais sobre o assunto, mas só quero “mostrar” a minha indignação, tristeza, agonia e frustração por existir tão poucos leitores, ao menos perto de mim. Num país onde há um potencial de inteligência imenso, mas que nem sempre se aflora. Não vou dizer que todos que lê são inteligentes, mas se a gente fizer essa ligação, é claro que depois de um livro lido, uma mente nunca mais será a mesma. 
Se existissem mais leitores perto de nós e apaixonados pela leitura ao invés de doar o tempo para muitas futilidades, creio que o país andaria mais a passos largos. Um país de leitores é um país que dispara em conhecimento. Educação, cultura, etc. e vale ressaltar que gosto não importa muito, certo? No sentido de que, por mais bizarra que seja, do mais diverso assunto, creio que a literatura em si é sempre rica e entretém. Então nada de criticar quem lê isso ou aquilo, portanto que leiam. Garotas e garotos que leem. Onde vocês estão neste momento? Pronunciem-se!

E vocês? Depois dessas reflexões o que me dizem? No seu bairro/cidade/município você encontra muitas garotas e garotos que gostam de ler? Você incentiva a leitura para que novos leitores surjam e moldem a nossa realidade numa realidade mais “leitora”? Vamos conversar e contar experiências! <3 Se eu passei a ideia de generalização em alguns momentos, vamos conversar direitinho sobre isso, pois realmente não foi minha intenção. Vamos fazer um debate saudável. Grande abraço!
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

2 comentários:

  1. Boa Noite Ewerton!
    Nossa que saudades que eu estava de ler um texto seu, estou muito feliz de ter lido este post maravilhoso!
    Eu passo por uma situação semelhante, aqui onde moro não conheço muitas pessoas que gostam de ler e mesmo as que eu conheço que gostam geralmente não compartilhamos do mesmo gênero literário... Isso é triste, e sim este foi um dos motivos de eu ter criado meu blog, mas acho que o motivo principal foi treinar a minha escrita, pois acho que escrevo mal e é algo que eu gostaria de melhorar.
    Infelizmente a leitura divertida atualmente pouco faz parte do meu dia-a-dia infelizmente. Estou em um momento de final de curso de faculdade, então meu tempo está restrito ao meu trabalho, aulas, e TCC (que envolve muitas leituras na verdade).
    Um forte abraço para você e muito sucesso com a sua volta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu com saudades de ler um comentário teu Margo! Obrigado pela honra! <3

      Entendo perfeitamente, mas tenho certeza que é uma correria boa e que graças a Deus não é para sempre! Você está batalhando para colher frutos deliciosos em breve, simplesmente aproveite. Se não for te prejudicar nos seus afazeres referentes ao trabalho e aos estudos, leia despretensiosamente mais um pouco. Mais uns vinte minutinhos diários. <3

      Volte sempre e obrigado mais uma vez pela linda e excelente opinião, grande abraço!

      Excluir

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.