23 de julho de 2015

O instigante suspense paranormal | 1° temporada de Supernatural

Fonte: Deviantart
Depois de anos lançada mundialmente, comecei a engatinhar na primeira temporada de Supernatural ou Sobrenatural (em português) esse ano. Não sabia bem o que esperar pois nunca tinha lido nada sobre o seriado, apenas via seu sucesso e uma grande legião de fãs ao longo de cada nova temporada. Assisti dez episódios na primeira vez que sentei - ou melhor, deitei - para assistir. Logo de cara. Dez episódios. Dez. 

Dito isto, percebe-se que já gostei do seriado em seus primeiros momentos, não? Foi desse jeito. Assisti o piloto sem pretensão de sair amando o seriado, mas como sou muito investigador do sobrenatural, foi um seriado que curti desde os primeiros minutos. Em uma semana finalizei a primeira temporada. Não tenho a disponibilidade de ficar assistindo a temporada o dia todo (queria eu, saudades tempos de escola). Mesmo assim creio que foi um belo tempo e as informações ainda estão bem frescas na memória. 

A história gira basicamente em torno dos irmãos Sam e Dean Winchester procurando o seu pai e o demônio que matou sua mãe e a namorada do Sam, a Jéssica. Ao longo dos episódios eles vão caçando criaturas sobrenaturais, de fantasmas a demônios e destruindo seu poder onde quer que eles atuem. Esses seres sobrenaturais realmente infernizam a vida de pessoas e famílias e escravizam sem piedade muitos humanos. Eles vão seguindo as instruções de seu pai e vão se tornando cada dia melhores na arte da caça e nesse tipo de trabalho sobrenatural.

http://supernaturalislife.com.br/2008/05/review-da-primeira-temporada.html/

Essa primeira temporada é bem leve tendo em vista que está no começo de tudo, onde os irmãos - até então afastados - criam laços de amizade mais profundos reencontram o pai - até então afastado dos dois também, caçando a coisa que matou sua mulher e a mãe dos meninos de maneira independente - e assim caminham juntos até o entrarem. Muitas desavenças e problemas surgem no caminho, mas os irmãos sempre acham uma forma de se resolverem e voltarem ao caminho. Dean quase sempre piadista e mulherengo. Sam mais estudioso e centrado. O balanço ideal. 

Muitos episódios tem aquela base de estudo deliciosa. À base de pesquisas na internet, nas bibliotecas locais e em interrogatórios (muitas vezes não tão amigáveis) de pessoas da região. Qualquer fato pode passar desapercebido e levá-los à morte certa. Temos a história e lenda urbana conhecidíssima da Bloody Mary no quinto episódio; o Hook Man (Homem-Gancho) no sétimo episódio; o maravilhoso episódio do "Espantalho" no episódio de número onze. O episódio "Sangue do Morto" (20) nos mostra uma perspectiva diferente sobre os vampiros. HAHAHA Entre outros episódios muito bons. 

Esses estudos sobrenaturais com anotações, desenhos, ingredientes contra eles, e diversos meios e armas para matar um demônio nunca saem de moda para mim. Lembro-me sempre do primeiro episódio de Grimm e aquele maravilhoso caderno/bloco de anotações de criaturas sobrenaturais. Grimórios de bruxas também sempre me fascinam, apesar de ser universos bem diferentes, estão ligados pelo sobrenatural e pelo bem e o mal que desconhecemos. 

Creio que foi por esta razão que Supernatural me fisgou de primeira, ou melhor, no primeiro episódio. Me senti envolvido pelas pesquisas, tramas, dramas e a ação que envolve esses caçadores sobrenaturais. Quem sabe eu tivesse a ambição de ser um caçador com todo o charme e armas em punho. Sonho de quase todos os garotos na infância, haha. 

Aos poucos vamos sabendo coisas sobre a coisa que matou a tantos, sobre a família dos irmãos, sobre outros caçadores que são parecidos com eles e que fazem o mesmo trabalho. Muitos inimigos surgem no caminho, muitos ainda vivem, muitos estão mortos. Possessões, exorcismos e coisas ditas milagrosas acontecem mas nem tudo é o que parece ser. Isso é legal porque vai te mostrando uma nova perspectiva, mais real digamos assim, do sobrenatural. Alguns fatos mudam nas mesmas histórias de outros seriados e lendas. É bem interessante outros pontos de vistas de criaturas ditas inventadas pelos seres humanos. 

Criaturas da noite e do dia, do bem e do mal, possuem um papel fundamental na série. Não dá para revelar muito dos episódios porque assim os spoilers vão correr soltos, só digo que: quem curte essa pegada sobrenatural, tem algum fascínio por esse meio de histórias assombradas e demônios, vale a pena assistir. Quem morre de medo com qualquer cena leve, é melhor pular para outro seriado, pois tem muito suspense e mortes. 

Assistam. Super recomendo para quem gosta do tema. Quem aqui já assistiu? Gostou? Vamos falar sobre essa primeira temporada, não nos responsabilizo pelos spoilers nos comentários, hein? Quem não assistiu pode pulá-los, rs. Vamos prosear!

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.