1 de setembro de 2015

O prazer de desconectar


Para fechar este mês (tido como um tanto looongo para muitos, inclusive para mim, hahaha) com chave de ouro, vim comentar com vocês minhas razões e pensamentos sobre eu ter tirado a maioria das minhas redes sociais pessoais. Já queria falar num post há um tempo este assunto e esta é a oportunidade certa. Como eu comentei no twitter, hoje iria ao ar um post muito legal sobre Yoga, porém resolvi falar deste assunto primeiro. O post de Yoga sairá em breve, já está pronto.

De início, posso dizer que estou me sentindo aliviado por ter tirado quase todas as minhas redes sociais. Deixa eu explicar. Já faziam meses que eu buscava viver mais em off, sem querer ter a preocupação de estar atualizando e acessando de hora em hora cada atualização que chegava no meu celular, meses que eu já procurava viver mais minhas vida fora do sistema de muitos ou poucos likes, fora do meio de exposição e longe dos olhares maldosos (principalmente de alguns familiares). 

Passei meses martelando na minha mente quais redes sociais eu deveria tirar. Quais eram permanentemente irrecuperáveis. Quais eu sumiria temporariamente. E assim passaram semanas no dilema "tira ou não tira"? Provavelmente nunca saberei o porquê de não querer excluir minhas contas pessoais, até hoje procuro um motivo para não fazê-lo, mas não vou encontrar nenhuma boa razão para me prender de novo. 

Conversei muito com o meu amor e alguns amigos contados a dedo para que eles me aconselhassem e para verem de longe se eu não estava pensando em besteira. Creio que isto é uma decisão muito pessoal, mesmo assim eu quis inclui-los. Deu muitíssimo certo e eu tirei redes sociais que eu julgava extremamente importantes. Tá longe disso.

Só para vocês terem uma noção eu exclui o Snapchat, Twitter, Periscope, Foursquare, Swarm, Telegram, Tumblr, Pinterest, EyeEm. O Facebook pessoal (que é onde eu acho a maior exposição de todas por mais que você prive todas as informações que julgar preciso) está com os dias contados, só estou esperando alguns contatos me informarem por inbox seus números de contato para excluí-lo. 

Para não sumir ou ser taxado de que sou abandonar de alguém - sempre tem aqueles que não movem uma palha para saber onde você está, tipo assim - nunca, mas que faz questão de cobrar o que não pode - com o Whatsapp e o Instagram (@ewertonlenildo). 

Estando somente com estes dois perfis pessoais estou de alma lavada. Incrível como quando você pensa, repensa, planeja, mede todos os pontos e consequências e quando você age vê que fez a escolha certa. Colhe frutos maravilhosos de planejamento construído. É desta maneira que está sendo comigo. Tomei esta decisão numa calma invejável. 

O que me deu uma inquietação básica de ter excluído de verdade foi o Twitter. Senti uma pontinha de tristeza em desapegar pois era uma conta muito ativa alimentada por mim e que eu já tinha há muitos anos. Mas isto é que é gostoso. O ato de desapegar e ver que desconectar vai além de excluir qualquer coisa. É também se desprender daquilo que te fez tanto bem mas que atualmente não funciona mais. Simplesmente cumpriu seu propósito e foi-se. 

Me sinto sublime e muito reconfortado em pensar que não terei que dar "explicações" online. Que não marcarei minha localização e quando pesquisar no Google meu nome encontrar meu check-in de tantas horas atrás. 

Dois amigos para o qual abri um diálogo me disseram que queriam ter esta coragem. Coragem de não se expor tanto, de fugir por uns tempos das redes sociais, de viver mais em off e isto me fez pensar o quanto somos dependentes dessa toxina chamada rede social. 

Claro que avaliei a possibilidade de postar menos, pois sou eu quem faço a rede social, mas também pensei que não tem muito sentido ter alguma rede social somente por ter ou porque todo mundo tem. Se eu não interagir, é inútil ter. Isto na minha opinião pessoal. Estes amigos querem repaginar suas vidas de forma que ninguém fique sabendo, somente os mais próximos e presentes. Amigos e familiares da vida fora do computador. 

Tenho todos os meus contatos na agenda do celular e por mais que aconteça alguma coisa com o aparelho, certamente a lista já está salva, a Apple me salva nessas horas. Então não perderei "ninguém". Achei bem sábia esta decisão.

Como vocês já devem ter notado continuei com o Fabebook, Twitter, Pinterest, Tumblr, Google plus e Instagram do blog. Fiquei com as redes sociais do blog porque são universos totalmente diferentes e por querer me dedicar mais a elas de forma profissional e ao mesmo tempo bem eclética. E assim tenho feito. Porém, ainda há muito que tem que ser feito. 

Caso não tenha ficado muito claro meus objetivos para ter tirado a maioria das minhas redes sociais pessoais, perguntem nos comentários <3 E falando em redes sociais, estou em fase de planejamento e volta com um antigo blog que atualmente está desativado, penso eu, para pelo menos no começo do ano que vem então fiquem ligados. Vez ou outra nas redes sociais do blog irei soltar algumas dicas de como anda o andamento do projeto. 

Me dá um alívio tão grande em pensar que quando eu viajar, sair, passear ou fizer qualquer programa com meus amigos e familiares importantes ninguém saberá da minha rotina ou do que faço ou deixo de fazer. Ah, e nem ficarei preocupado em me expor de alguma maneira por alguma foto ou vídeo. Meus amigos certamente postarão, mas eles são eles. Se eu aparecer em algum lugar serei apenas um vestígio de uma manhã, tarde ou noite. 

Pelo menos poderei sair com meus amigos e respirar um pouco sem ficar pegado no celular sem nada de conversa rolar. Que horror. Quero desconectar e visualizar a energia dos que estão ao meu redor. Reconhecer de volta a essência daqueles que são importantes, sabe?

No mais é isto amigos. Me sinto outro por ter dado este passo de "sumir" por uns tempos. Venho respirando fora da obrigação de postar algo meu há alguns dias e isto tem me deixado mais iluminado e experiente de certa maneira. Espero que a mudança continue sendo mais do que positiva, pois não dá mais para voltar atrás. Vocês possuem alguma dúvida sobre a ação que fiz? Vamos conversar, grande abraço.
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

2 comentários:

  1. Meu querido, que post ótimo (como sempre são os teus posts)!
    De tempos em tempos eu faço uma faxina de e nas redes sociais, porque consumimos um tempo absurdo vendo bobagens. Comecei a utilizar meus perfis mais para divulgar trabalhos do que para expor minha vida e tive um retorno tão legal, seja em contatos ou em comentários que realmente vão fazer a diferença na minha vida.
    Acho uma atitude louvável desconectar, e já penso que no futuro farei o mesmo.
    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado minha flor! Seus comentários sempre me deixam super feliz, obrigado!

      Entendo perfeitamente. Quando você divulga seu trabalho é outro nível de relacionamento, não é a mesma coisa de postagens pessoais expondo sua vida. Muito bom fazer periodicamente uma limpeza, porque realmente acabamos acumulando tralhas virtuais. Eu tirei quase todas as minhas redes sociais. O facebook está por um fio e preferi ficar somente com o Instagram e o Whatsapp. E já está de bom tamanho, hahaha. Obrigado (de novo, hahaha) pela presença maravilhosa no meu cantinho. Beijooos!

      Excluir

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.