29 de setembro de 2015

Reciclando e destralhando no meio digital


Tenho visto o meio virtual e sua importância de maneira diferenciada há meses. Fiz uma mudança radical no último mês e, como já falei para vocês, fiz uma mudança e limpeza do meu nome na internet. Fiz tudo isto de maneira eficiente e muito bem pensada. Incrível como minha produtividade e humor melhoraram mil por cento. Decidi focar nas redes sociais que valiam a pena: nas do meu querido blog. Que sempre, como vocês sabem, estão constantemente sendo atualizadas e por onde interajo com meus leitores mais a fundo e de maneira mais pessoal.

Com toda esta desintoxicação e reciclagem digital pude constatar que desapeguei geral. Não fiquei dependente de nada, me senti leve. Por isso sei que a mudança brusca valeu a pena. Foi brusca na ação, não no pensamento. Só executei o que vinha refletindo e lendo bastante há meses. Reciclei minhas fotos do computador. Isso mesmo. Tirei-as todas e coloquei-as todas na nuvem privada. 

Destralhei todos os meus documentos digitais. Organizei em poucas pastas as coisas que não posso excluir nunca e as que estão em uso, muitas destas coisas estão no mesmo patamar. Não poder excluir e usar sempre. Tenho usado a internet mais para estudos e processos pessoais. Ultimamente não a tenho usado para bobagens ou distrações. Nos últimos meses tenho procurado não perder tempo com muita coisa e sim, dar assistência e respaldo, a vários projetos ao mesmo tempo. Tenho muitos projetos em aberto e tenho que estar presente em todos, então distrações não rolam. 

A importância de destralhar e reciclar no meio digital é imensurável. Sério, gente. O tanto que acumulamos sem perceber de coisas que baixamos e produzidos quando estamos usando o computador, celular e internet é de deixar qualquer um frustrado se não for organizado. Muitas vezes já fiquei perturbado por saber que meu computador estava uma bagunça e eu tinha a todo custo que limpá-lo. Inúmeras vezes. Hoje ele está aceitável, mas para mim ainda, não está excelente. Tenho feito uma limpeza gradual todos os dias. Por dez, quinze minutinhos. 

Nós precisamos nos reciclar todos os dias e destralhar nossa casa, nossa mente, nossa vida constantemente. Não seria diferente com o meio digital, não é? Algo que para a maioria de nós, já é um pedacinho vital da nossa matéria biológica.  Destralha a partir de hoje! Começa a reciclar tudo o que você tem e pergunte-se: qual a necessidade de ter tal arquivo? Porque estou dando tanta importância a estes documentos que não abro há mais de um ano? Revise seus conceitos e pense se tal arquivo acumulado corresponde ao seu perfil atual, se não, faça uma limpeza virtual de dar inveja. 

Tenho certeza que depois de limpar, filtrar, arrumar, renomear, excluir e esvaziar a lixeira você vai se sentir outra pessoa. Sei que sim, falo por experiência própria. Tenho feito playlists no youtube de cada artista que ouço, de todos os gêneros. Comecei com o gospel porque é o meu preferido. Está bem em fase inicial e faço um pouco todo dia, o Twitter vê, hahaha. Com isto tenho limpado meu computador e meu celular das queridinhas músicas. Não ouço mais nada offline. Somente quando estou conectado à internet numa playlist pessoal e com músicas selecionadas a dedo. Estou adorando esta praticidade e organização. Me facilitou muito a vida.

Quando for tendo novas mudanças e experiências converso com vocês em forma de post. Obrigado. <3
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

2 comentários:

  1. Também fiz essa faxina quando troquei de computador, e na semana passada excluí várias redes sociais. Resolveu meu problema de distração e agora consigo focar em outras coisas. Destralhar é muito bom, traz uma sensação de alívio imensa, abre espaço para o que realmente é importante.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente minha amiga! Como você bem sabe, quando o fiz, me tornei outra pessoa, hahahaha. E quando comecei a focar nas redes sociais do blog e só mantive meu instagram e meu whatsapp como rede social pessoal, melhorou e muito minha vida. Amo demais e sempre precisamos estar fazendo esse destralhamento porque as coisas acabam acumulando e quando percebemos dá um trabalhão organizar tudo de novo. Vamos nos organizar mais e mais! Grande beijo! Obrigado pelo lindo comentário. <3

      Excluir

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.