4 de setembro de 2015

{RESENHA} Questões do Coração – Emily Giffin


Amados e queridos leitores, olá. Trago a resenha de um romance bem "perigoso" e carregado de sentimentos verdadeiros, fortes e arrebatadores. Ficou curioso(a) para saber de qual romance estou a falar? Então continua lendo meus comentários sobre a obra:

Ano de Publicação: 2011
Editora no Brasil: Novo Conceito
Número de Páginas: 440
ISBN: 978-85-63219-31-2
Sinopse: "Tessa Russo é mãe de duas crianças e esposa de um renomado cirurgião pediatra. Apesar dos avisos de sua mãe, Tessa recentemente abriu mão de sua carreira pra se focar na família e na busca da felicidade doméstica. Ela parece destinada a viver uma boa vida. Valerie Anderson é advogada e mãe solteira de Charlie que tem apenas 6 anos e nunca conheceu o pai. 

Depois de muitas decepções, ela desistiu do amor - e até mesmo das amizades - acreditando que é sempre mais seguro não ter muitas expectativas. Embora as duas mulheres vivam no mesmo subúrbio de Boston, elas tem muito pouco em comum além do amor pelos filhos. Mas numa noite, um trágico acidente faz suas vidas se encontrarem de um jeito inesperado. 

Em uma história alternativa e com vários pontos de vista, Emily Giffin nos emociona com um livro luminoso em que boas pessoas são pegas em circunstâncias insustentáveis. Cada um sendo testado de maneiras que nunca pensaram ser possível. E cada um deles descobrindo o que realmente importa."

Peguei o livro Questões do Coração da renomada Emily Giffin, pelo fato de nunca ter lido nada da autora e ter muita curiosidade nas suas tramas que sempre se mostravam – para quem lia – complexas e bem delineadas. Posso dizer que não me arrependi de maneira nenhuma. Gosto de livros que tratam de situações pesadas e embargadas de tramas complicadas e cheias de acontecimentos surpreendentes. E é o que eu pude ver com a minha leitura de “Questões do Coração”. 

“As pessoas que você mais ama são as mais difíceis de manter por perto.”

É um romance realmente adulto e intenso. Como em milhões de resenhas que eu li antes de ler, eu pude comprovar e posso descrever esse livro em uma palavra: intenso. Não que seja ruim, jamais, porém é bem denso e completo. A Emily pega situações extremamente simples e as transforma com sua escrita em uma trama totalmente cheia de reviravoltas e sentimentos que ao mesmo tempo são confusos, tê-se a impressão de que são errôneos. Sentimentos fortes como: amor verdadeiro, raiva descontrolada, perdão sincero, entre outros que modificam-se ao longo da trama de forma a surpreender a cada novo capítulo.

A autora intercala os capítulos entre as falas em primeira pessoa da personagem Tessa e, entre as falas de terceira pessoa da personagem Valerie. Tessa Russo é mãe de dois filhos e esposa de um renomado e conhecido cirurgião pediátrico. Enquanto Valerie Anderson é uma excelente advogada e mãe solteira de um garotinho de seis anos. Ambas moram no mesmo bairro, porém não têm muito em comum. 

Decorrente a uma fatalidade, mas precisamente um acidente, o destino de ambas se cruza de maneira surpreendente, fatal. Por ser uma trama muito “comum” (que pode ocorrer com todo mundo), qualquer detalhe pode ser considerado spoiler. Infelizmente não posso relatar mais sobre algumas situações. Acontece algo que acarreta sensações, problemas familiares e intriga por entre os personagens, que a Emily procura resolver, amenizar, concretizar e solucionar de forma racional, ágil e acima de tudo: humana. Mas não garanto que a mesma conseguirá.

Com personagens muito bem criados e construídos, a autora nos envolve e nos faz pensar: O que faria se eu fosse ele(a)? Será que devo ceder a essa situação? Onde está o meu caráter (ou a falta dele)? O que as outras pessoas irão falar se eu seguir por este caminho?

Questões como essas são sempre levantadas ao longo da trama. A Emily faz com que você “viva” a realidade do personagem e mescle com seu dia a dia, com sua realidade. Até pelo fato de ser situações que podem ocorrer com qualquer um de nós. Há cenas que confesso, pensei que já as tinha vivido por conta do lugar, das profissões, do ambiente no geral. A escrita da autora é fascinante. O modo como ela consegue te transportar entre as ruas e casas que fazem parte da vida dos personagens, deixa qualquer leitor bobo.

Pois então leiam, leiam e leiam. Sabe aquele tipo de romance que vale muito a pena ter na cabeceira da cama e reler inúmeras vezes? Exatamente deste jeito. E tentar nunca agir feito certos personagens. As consequências podem ser (e serão, elas serão) devastadoras. Recomendadíssimo. A escrita da autora me envolveu, me prendeu e me fez entrar dentro do livro a ponto de deixar meu coração aflito nas muitas situações. 

Este foi o primeiro romance da autora que li e pelo o que pude pesquisar, tem outros livros melhores ainda, mal posso esperar a hora de lê-los. Sem contar que sobre esta capa: morro de amores. Linda por demais. 

A resenha está bem curtinha para um livro tão magnífico, mas procurei não entrar muito na história para não expor pontos importantes e detalhes cruciais sem querer. Surpreenda-se com a autora também, leia ainda hoje. Fica a pergunta: alguém aqui já leu este livro? Se sim, o que achaste? Vamos conversar sobre, grande abraço.

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.