23 de setembro de 2015

Saber ouvir é primordial


Não é de hoje que observo as pessoas por onde ando. E quanto mais as observo, mais vejo que a maioria não sabe ouvir. Muitas destas pessoas desconhecidas brigam a troco de nada e/ou falam explodindo a boca em sons altíssimos. Donos da razão por diversas vezes. Sem julgamentos, só os que os olhos vêm em piscadas rápidas. Não sabemos o porquê destas pessoas estarem nesse estresse, talvez por algum problema pessoal, talvez por algum problema que teve ao longo daquele dia, mas uma coisa é certa: o desequilíbrio emocional é estampado. 

Quanto não perdemos por não saber ouvir? Quanto não sofremos por não saber esperar? Tantas vezes somos pegos em situações que devemos ouvir e não o fazemos. Incrível como a fala desnecessária nos faz entrar em certos apuros muitas vezes impossíveis de sair. Devemos ter cuidado com o que falamos para poder ouvir mais e procurar aprender com isto. 

Nos últimos meses tenho percebido a importância do saber ouvir e falar somente quando necessário. Tenho me livrado de tantas situações constrangedoras que normalmente eu entraria por simplesmente balançar mais a cabeça e entender a linha de raciocínio de quem estou conversando. Tem dado super certo e até me preocupo menos com certas futilidades. 

Ouvir vai além de ficar em silêncio enquanto o outro se expressa. É saber entender, é manter a ética sigilosa quando necessário. Ouvir na minha humilde opinião é uma prática adquirida, falo por experiência própria. Houve um tempo em que eu só queria falar, falar, falar e falar mais. Nunca ouvir. Era tido muitas vezes como alguém que queria ser sabe tudo ou simplesmente intolerante. O que nunca foi o meu caso, por fim. 

Minha mãe tinha um professor na faculdade que irritava a turma por simplesmente não saber ouvir. Abrir rodas de debate e só ele falar. Cortar colegas no meio das falas e iniciar outro tópico do assunto. Coisa mais chata, não é? Não saber ouvir é um problema que pode acometer qualquer tipo de pessoa, de qualquer formação profissional. Que nossos tímpanos vibrem com a famosa e bela voz do silêncio e o saber ouvir esteja cada vez mais presente nosso viver. 

Queria comentar com vocês através deste post sobre o assunto pois a cada dia noto a situação mais agravada. É impressão minha ou a maioria das pessoas não conseguem mais simplesmente ouvir? Falemos sobre o assunto, obrigado. <3
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.