13 de outubro de 2015

A importância de alguns dias offline


Estive pensando em como a sobrecarga online é gritante. Queira quer não, somos sempre compelidos a estar presentes no mundo virtual. Sempre chamados, sempre aclamados, sempre atraídos para este mundo. Não sei vocês, mas acho de suma importância e utilidade mental, passar alguns dias offline (se isto for possível e não vá atrapalhar sua vida profissional). E é justamente sobre isto que quero conversar com vocês hoje, sobre a importância de se passar uns dias, ou um período, offline. Vamos lá?

Estou necessidade de passar uns dias em off. Desconectado do mundo, somente com a minha presença. Minha presença online, até por conta do blog, é muito grande. Como não quero deixar este sonho aqui às moscas, entro diariamente para fazer tudo aquilo que um blogueiro faz. Crio posts, seleciono imagens, respondo comentários, visito inúmeros blogs amigos, conheço vários meios, me atualizo e atualizo as redes sociais com os conteúdos relacionados ao blog, faço tudo em busca do aperfeiçoamento deste meu cantinho. E dependo exclusivamente da internet para isto. Preciso estar online, seja a hora que for. E tudo isto demanda muito tempo e muita disposição, quem é blogueiro sabe.

As vezes, até por conta de não me organizar direito para incluir este tipo de coisa, deixo de fazer algo importante fora da tela do computador para suprir as necessidades que surgem online. Isso é muito comum e é ai que começo a ver o desiquilíbrio direto que a o "estar online" acarreta. Não quero que a vida online crie lacunas defeituosas na minha vida offline. Não quero que atrapalhe minha qualidade de vida e tenho pensado muito em considerar algumas ações que venho tendo ao longo da minha organização diária. 

Exemplo: estou pensando em mudar um hábito que se tornou frequente para mim nas últimas semanas: assim que acordar, mexer no celular para conferir as redes sociais do blog. Eu sei que há a necessidade de checagem matinal quando você só tem aquele horário para fazer isto, mas fazer esta revisão matinal antes mesmo de escovar os dentes e levantar da cama, estou achando isto desregular. Achando e sentindo o efeito no meu próprio corpo.  Não tem sido positivo e estou prestes a mudar isto. Proponho para mim mesmo e para quem se interessar o ato de desconectar o wi-fi do celular uma hora antes de dormir e, só mexer no celular para executar os procedimentos de rotina, quando tiver bem acordado e levantado. Creio que isto irá resolver.

Tenho sentido muita falta de dias mais frescos, arejados, iluminados, com muito sol e ventania. Creio que preciso de um dia inteiro para dormir, um dia inteiro para comer tudo que for de besteira, um dia inteiro para sair de casa de manhã e só voltar à noite. Creio que preciso somente me desvincular da minha rotina habitual por um dia e ver o prazer de forma absoluto, sem me importar muito com consequências. Talvez um dia offline me proporcione isto. Parece certo. 

O avanço da tecnologia e novos meios de contato e interação entre os seres humanos foi e está sendo de extrema valia para a humanidade, mas todos nós sabemos os riscos e problemas, que a desconcordância do uso deste recurso precioso acarreta e o estrago que ele pode causar se deixarmos. Nunca na história da humanidade neste planeta estivemos tão conectados, mesmo entre distâncias territoriais absurdas. É realmente incrível. 

Não somos máquinas, isto é óbvio, mas as vezes queremos nos comportar como uma. Queremos não ter prazos, queremos ser invencíveis em tudo, queremos ser presentes em tudo, queremos não precisar recarregar nossa carga vital em momento algum. Isto quando não acaba conosco, nos deixa quase inabilitados. Nos quebra com força. Eis ai a importância de recarregar as energias. Ninguém é de ferro, ninguém é invencível. Todos nós temos limites, é preciso saber repeita-los. 

Conversei um pouco com vocês neste post pois não queria deixar minhas divagações se perderem no obscuro da minha memória. Fiz bem em relembrar o porquê de tudo isto e o meu querer em relação à mudança positiva, ao melhoramento da minha qualidade de vida e em prol da minha própria relação comigo mesmo. Tenho que estar bem para poder lidar de forma honesta com o mundo e com as pessoas ao meu redor. Acho isso importante. 

Você já pensou na possibilidade de passar alguns dias offline? Como você acha que isto de ajudaria? Vamos conversar sobre o assunto, obrigado por estar aqui. Grande abraço! <3 
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.