2 de novembro de 2015

{FILME} A Colina Escarlate de Guillermo del Toro

Nome: Crimson Peak (A Colina Escarlate)
Data de lançamento: 15 de outubro de 2015 (Brasil)
Direção: Guillermo del Toro
Roteiro: Guillermo del Toro, Matthew Robbins
Gênero: Drama, terror, fantasia
Duração: 119 minutos
Alguns nomes do elenco: Charlie Hunnam, Jessica Chastain, Tom Hiddleston, Mia Wasikowska, Burn Gorman, Doug Jones, Jim Beaver.



De acordo com a sinopse: "Quando o coração dela é roubado por um estranho sedutor, uma jovem mulher é arrastada para uma casa no topo de uma montanha de barro vermelho-sangue: um lugar repleto de segredos que vão assombrá-la para sempre. Entre o desejo e as trevas, entre mistério e loucura, encontra-se a verdade por trás de Crimson Peak, a Colina Escarlate." 

Outra sinopse mais aprofundada para quem gosta: "Apaixonada pelo misterioso Sir Thomas Sharpe (Tom Hiddleston), a escritora Edith Cushing (Mia Wasikowska) muda-se para sua sombria mansão no alto de uma colina. Habitada também por sua fria cunhada Lucille Sharpe (Jessica Chastain), a casa tem uma história macabra e a forte presença de seres de outro mundo não demora a abalar a sanidade de Edith."


Vim falar com vocês a cerca de um filme que vi nos cinemas dias atrás e que me agradou bastante, como está no título e começo do post: o filme A Colina Escarlate. Comecemos. 

O filme foi produzido pela Legendary Pictures e distribuído pela Universal Pictures. Um dos pontos fortes e mais comentados deste filme foi justamente os efeitos e clima visual. Muito elogiados, diga-se de passagem. Também achei fenomenal todas as cenas e qualidade que o filme foi gravado, produzido e elaborado. 

A história fez bem o seu papel demonstrando o que o diretor do filme quis expressar e dou ênfase aqui às borboletas que apareceram no filme. Foi juntado o horror ao delicado num extremo nunca visto por mim antes. A trama começa bem estilo Disney, bem mágica e inocente e com um toque de horror envolvendo fantasmas. 


Logo após a infância conturbada da Edith, ela torna-se uma jovem corajosa (o que não é explicitado no filme, foge do esteriótipo menina valente comum em muitos filmes do gênero) e escritora de mão cheia, que foi o que eu mais amei na personagem. Queria eu ter o quarto dela, a cama dela e a inspiração dela, hahaha. Na verdade a inspiração eu tenho, rs, mas eu preferiria um computador para me ajudar no trabalho, seria bem útil à Edith também. O quarto é inspirador e em dias de chuva, ó: <3 Só amor!

Todos os personagens na trama tem seu papel importante e decisivo no rumo da história. Há quem ache o roteiro vazio e sem emoções, eu discordo, pois a cada cena eu me via cada vez mais compenetrado no universo da Colina Escarlate. As cenas de horror foram bem feitas e para quem ama sangue para todo lado vai amar. 

As cenas mais perturbadoras foram realmente as em que os fantasmas apareceram. Alguns mais físicos do que outros, mas todos bizarros. Fazendo sons estranhos, hahahaha. O local é maravilhoso, queria eu morar na colina, mas eu mudaria toda a estrutura daquela mansão bizarra. Deixaria um palácio para que nos tempos de neve e frio eu tivesse onde me refugiar. A inspiração é tanta que me dá uma alegria em simplesmente comentar o assunto, rs. 


Com estas roupas lembrei do filme Cinderela, resenhado aqui no blog. Elegância e posso dizer, um pouco de extravagância também. Muitas mortes, trama, desejos secretos, vingança e terror você encontrará neste filme. Para mim cumpriu o que prometeu. Nem todo mundo que assistiu ficou com medo ou coisa do tipo, muito menos eu na verdade, mas conheço pessoas que por menos do que está no filme, se desespera. 

As atuações maravilhosas. Tem umas das últimas cenas que a mocinha faz uma coisa tensa. Eu vou ser sincero, pensei que ela iria ser mais uma vítima, mas adorei a atitude dela. HAHA Show! Fica então minha recomendação de: assistam! Não vou escrever mais detalhado por causa da política de não soltar spoiler (aff =X), então fica só a recomendação e algumas palavras minhas. Assistam e me digam o que acharam, eu adorei. <3 HAHAHAHA 

Alguém aqui já assistiu esse filme que ainda está em cartaz nos cinemas? 

Vem conversar, abração.

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

2 comentários:

  1. Adorei sua análise desse filme.

    Estava louco para assistir, fiquei sem tempo e acabei assistindo a análise do canal Omelete.
    Não devia ter feito isso, pois "o brilho" que vi em toda a trama, desde o primeiro trailer, escorreu por entre os dedos. E isso me deixou bem triste em relação ao filme.

    Mas esse seu post reacendeu a chama. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado meu querido! Que ótimo que gostaste, hehehe. Assista e me diga o que achou, creio que irás gostar. Abração.

      Excluir

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.