2 de novembro de 2015

{RESENHA} O melhor de mim – Nicholas Sparks

Olá amigos e leitores, tudo bem? Trago hoje a resenha de um livro que fará muitos soluçarem de tanto chorar. Prepare o lenço, iremos falar de O Melhor de Mim, do fabuloso escritor e autor Nicholas Sparks. Vamos conferir a resenha?


Editora no Brasil: Arqueiro
Lançamento: 2012
Páginas: 272
ISBN: 978-85-8041-049-5

Sinopse: "Na primavera de 1984, os estudantes Amanda Collier e Dawson Cole se apaixonaram perdidamente. Embora vivessem em mundos muito diferentes, o amor que sentiam um pelo outro parecia forte o bastante para desafiar todas as convenções de Oriental, a pequena cidade em que moravam. Nascido em uma família de criminosos, o solitário Dawson acreditava que seu sentimento por Amanda lhe daria a força necessária para fugir do destino sombrio que parecia traçado para ele. Ela, uma garota bonita e de família tradicional, que sonhava entrar para uma universidade de renome, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e seu espírito livre. 

Infelizmente, quando o verão do último ano de escola chegou ao fim, a realidade os separou de maneira cruel e implacável. Vinte e cinco anos depois, eles estão de volta a Oriental para o velório de Tuck Hostetler, o homem que um dia abrigou Dawson, acobertou o namoro do casal e acabou se tornando o melhor amigo dos dois. Seguindo as instruções de cartas deixadas por Tuck, o casal redescobrirá sentimentos sufocados há décadas. Após tanto tempo afastados, Amanda e Dawson irão perceber que não tiveram a vida que esperavam e que nunca conseguiram esquecer o primeiro amor. Um único fim de semana juntos e talvez seus destinos mudem para sempre. Num romance envolvente, Nicholas Sparks mostra toda a sua habilidade de contador de histórias e reafirma que o amor é a força mais poderosa do Universo - e que, quando duas pessoas se amam, nem a distância nem o tempo podem separá-las."


Mesmo prevendo o final do livro, eu não pude deixar de ficar com um nó na garganta assim que virei à última página do mesmo. Nicholas Sparks sabe como deixar aquela ferida pairando no ar enquanto você se lamenta com o final de seus romances. Ele deveria ser proibido de escrever dessa maneira, mas tudo bem. hahaha

Em “O Melhor de Mim” (um tema bem sugestivo para nossa imaginação voar e voar livremente) já é iniciado com memórias do passado um pouco sofridas de um homem chamado Dawson Cole - que sabe Deus como escapou da morte inúmeras vezes – que é bem solitário, calado e observador.

De origem pobre e com uma família realmente barra pesada, Dawson era diferente de tudo que sua família venerava. A bagunça, a desordem, a agressão física, violência, roubo e crimes diversos, não o chamavam a atenção. Ele era honesto, pacífico e de bom coração. Ao contrário de seus primos Ted e Abee Cole que sempre eram realizadores de delitos na pequena cidade de Oriental, onde nem mais a polícia resolvia os problemas criados pelos mesmos. Oriental também não tinha só desgraça e infelicidade familiar, mas por sua vez, foi palco de um grande amor juvenil e sedutor entre Dawson e Amanda Collier, uma garota rica e popular, vinda de família nobre.

Amanda era gentil, personalidade forte e decorrente a seu amor por Dawson, vivia em constantes agressões verbais com seus pais. Eles definitivamente não aceitavam que a filha namorasse um “delinquente” vindo de uma família de desordem e sem dinheiro. A mãe de Amanda sempre impassível irritava ainda mais a sua filha do que o pai pela falta de compaixão e sentimentalismo.

Apenas com 17 anos, os dois enfrentavam um dilema doloroso. Não poderiam continuar com seu amor, pois Amanda precisava ir para a faculdade. Sonhos e projetos foram deixados para trás naquele momento.

Amanda e Dawson, cada qual viveram suas vidas, mas nunca esqueceram de que o primeiro amor, o amor deles, ainda era vivo, e nunca se apagara. Anos mais tarde um velho amigo de ambos no passado chega a falecer e trás consigo um reencontro armado. Amanda e Dawson são convocados pelo advogado de Tuck, que lhes passa a vontade do mesmo e como se deve seguir a sua cerimônia de cremamento. Esse reencontro forjado por Tuck é o bastante para se reacender a chama do amor outrora apagado entre Amanda e Dawson. Bobos com a atitude bem planejada de Tuck, o casal aos poucos vai adquirindo a velha conexão que tinham.

Entretanto, Amanda vivia num dilema que não podia ignorar. Ao contrário de Dawson (que ao longo dos anos continuara solteiro) Amanda era casada com Frank e mãe de três filhos. Em um misto de loucura e culpa, ela não sabia ao certo o que fazer.

Diversos personagens são convocados, vivem suas histórias e se interligam numa teia que o Nicholas Sparks cria com tamanha inteligência. É um livro fantástico. Eu presumi o final do romance, e acertei na minha dedução. Mas ainda assim fiquei tocado ao terminar de ler a ultima frase do livro. O autor é um gênio na escrita. Sem comentários.

Muitas coisas se desenrolam ao longo do livro, fazendo assim fatos, alucinações e problemas – relacionados aos personagens, óbvio - se encaixarem e se resolverem. Com um toque único e mais maduro (em minha opinião), Nicholas Sparks nos prende mais com seus romances mais bem construídos.

A leitura flui bastante fácil. Não vi o filme da obra ainda, mas quero ver em breve. Leiam e me digam o que acharam. Já disse aqui que Sparks é um dos autores masculinos que eu mais gosto da escrita? Pois é. <3 


Alguém aqui já leu este romance? Vamos conversar. Grande abraço! 
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.