27 de novembro de 2015

{RESENHA} Um lugar escuro – Leonardo Zegur


Olá meus amados e queridos leitores vorazes! Trago para vocês a resenha do livro "Um Lugar escuro", do autor nacional Leonardo Zegur. Um livro que me surpreendeu demais. Vôalá.


Número de páginas: 197
Editora: Multifoco
Ano de lançamento: 2011

Sinopse: "Personagem tão comum, sujeito de classe média, sem virtudes, sem nem nada deu origem a tal tragédia. não é loiro, nem bonito, nem seus olhos são azuis, o seu trejeito e sua voz, a feiura fazem jus. Não namora, nem badala, sua vida é uma inédia, já de menino era feio, motivo alheio de comédia. Deixou que se fosse a vida, que passasse a infância, julgou que sendo moço deixaria a ignorância. Mas seus dias se esticaram e o desgosto não cedeu, continuou sendo a comédia, miserável qual plebeu. Foi zombado e humilhado com ardor e grande instância, se fosse ter com as mulheres era tratado com arrogância. Mas cansado de sofrer fez valer o seu respeito, nunca foi de mala ré, nem tão pouco homem suspeito. Mas seus rivais irão pagar pelo mal que lhe fizeram, pelo bullying na escola, pela aflição que lhe impuseram. Nunca quis ferir ninguém, antes disto ser aceito, mas a vida lhe ensinou que não se mata o preconceito. // Um Lugar Escuro é o livro de romance psicológico naturalista do autor Leonardo Zegur. O subtítulo é: baseado em uma história real. A história traz temas como bullying, descriminação e preconceito."


Esplendoroso. Maravilhoso. Real. Tocante e verdadeiro. Essas palavras que resumem esse livro. Em Um Lugar Escuro, o autor nos prende de maneira interessante e diferente, nos abordando e nos fazendo refletir sobre nossas próprias vidas. Sobre o que vivemos, sobre o que poderíamos fazer para viver melhor, sobre como tratar – de maneira honrosa e certa – as pessoas. Mostra-nos que a vida tem ambos os lados que merecem ser, traçados com muito cuidado. O bem ou mal, que você pode escolher, e arcar com suas conseqüências.

O livro – apesar de ser ficcional – expõe à dura e cruel realidade do belo na sociedade. De como o “belo” acaba com os sonhos de pessoas que não teem boas chances na vida, de pessoas que aos olhos da sociedade são menos inteligentes, gordas, feias, homossexuais, negras, e/ou que possuem todo tipo de “defeito”. 

Em alguns momentos nos causa até uma nostalgia, de volta a nossa infância, as nossas experiências de vida. A escrita – narrada em 1° pessoa pelo protagonista principal – é fenomenal, e muito inteligente. O personagem que narra sua história, suas convicções e explica suas atitudes, tem um grau de intelectualidade considerável, me deixando mais a vontade para continuar a leitura. Quem gosta de ler frases mal construídas, parágrafos mal terminados e palavras erradas? Eu mesmo não. rs

Não é a toa que os autores nacionais estejam recebendo tantos elogios. A literatura nacional está magnífica, e com esse livro do Leonardo Zegur não poderia – nem de longe – ser diferente. Ele escreve muito bem, e conciso; prendendo assim a atenção e criando uma relação magnética com o leitor. 

A trama ocorre na cidade maravilhosa (que eu amo de paixão) Rio de Janeiro, e com personagens de todas as classes sociais. Mostrando assim o trabalho honroso e as dificuldades que um pai de família, uma pessoa de bem, e um ser humano justo passa para colocar o pão na mesa. Como ele faz para sobreviver. Aprendi muito sobre o lugar onde se passa a estória, de costumes a paisagem.

Sempre com um toque “mágico”, digamos assim, o autor nos mostra a beleza do Rio de Janeiro, e a vida de como é por lá. Muito bom. Eu até me prendi e demorei um pouco para ler esse livro - por motivos banais. Mas quando comecei a ler, não consegui dar pausa. Linha por linha, frase por frase e parágrafo por parágrafo. Valeu muito a pena ter lido. 

Finalizo dizendo que recomendo por demais este livro tocante (principalmente no final). Leiam, leiam e leiam. Futuramente quando ele esfria mais na minha cabeça, irei reler, porque é um tipo de livro que merece reflexão, merece minuciosas olhadelas em suas páginas. Recomendo sem medo de errar. Quem gosta dessa temática e pegada mais no âmbito social vai refletir bastante.

Quem aqui já leu esta obra prima? Caso você não tenha lido ainda, tens vontade de ler? Um lindo abraço literário. Muitas leituras maravilhosas para vocês. 
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

2 comentários:

  1. Ainda não li a obra, mas fiquei bem interessado, principalmente por causa desse toque bem real. Isso me agrada demais nos livros.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de novembro. Você pode ganhar um livro incrível!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é meu queridão! Leia, creio que você irá se agradar bastante da obra! Me diga o que achou, hehehe. Obrigado pelo comentário, grande abraço!

      Excluir

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.