2 de novembro de 2015

Transformação verdadeira


É tempo de mudança. Chegou a hora da transformação. É verdade que essa teoria de “quero ser feliz, não importa o que aconteça” merece ser levada em conta? Talvez, para mim, isso possa tomar um rumo interessante. Como a vida – e eu, diga-se de passagem – somos feitos de pensamentos diversos, positivos outrora negativos, não tenho muita escolha a não ser seguir por um caminho sem objeções, e temporariamente sem trevas.

Estive procurando esses dias meios de “inspiração” para humildemente escrever. Não vou afirmar que estou contagiantemente inspirado e reluzindo de ideias, mas posso afirmar que, algo mudou em mim esses dias. O glorioso desejo de valorizar as pessoas mais simples, de sentir a brisa leve e gélida no rosto depois de uma gratificante corrida, de sentar e admirar a beleza confortável da natureza em sua real majestade me fez parar para uma longa e necessária reflexão. Talvez, num tempo não muito distante, minhas ações não condiziam com a pessoa que eu sou. Resultado dessas ações? Destruição total do meu eu intelecto e sentimental.

Até que, felizmente, levei um choque de realidade. Não. Não precisei de um acidente, de uma consequência mais trágica, ou de alguma doença incurável para ver os reflexos de minhas ações; precisei somente acionar a minha – justa e cruel – consciência reparadora. Não vou encher esse texto com murmúrios e lamentações que podem soar confusas em determinados pontos, somente quero firmar e deixar claro que depois de algumas atitudes erradas, temos por obrigação, fazer existir uma mudança. Mudança essa para melhor, mudança essa que possa aliviar a tensão na nossa alma, que é carregadora de tantos pesos tenebrosos.

Eis que a minha inspiração, pelo menos momentânea, está indo embora neste momento. Bom, e não sei quando volta. Às vezes ela gosta de brincar comigo e com meus pensamentos. E assim do nada destrói a esperança de um texto bom. Agora, creio eu que ela começou a cooperar comigo. E como estou predestinado a coisas grandes, essa transformação – para melhor - se aprimora a cada segundo, formando assim um ser humano mais alerta, mais dialogador, mais forte. E assim vamos sendo moldados pela vida, muitas vezes do jeito que ela quer, mas irrevogavelmente também do jeito que nós queremos ser moldados.

Um mês de novembro abençoado e inspirador para todos nós. <3

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.