13 de dezembro de 2015

Achando um ponto de equilíbrio


Nos últimos dias entrei em um esgotamento mental muito grande e o guardei para mim, não disse a ninguém. Fiquei muito cansado por estar tão preocupado e ter tanta coisa para fazer. Muitas destas coisas não são prioridades e eu me permiti um estresse desnecessário. Refleti com a cabeça cheia e percebi, mais uma vez, que preciso achar de novo um ponto de equilíbrio.

Revi todas as minhas probabilidades de sucesso, de vida e vi no que eu deveria focar para voltar à normalidade e cessar todo o caos. Achei um ponto de equilíbrio nas direções que preciso enfrentar e me aventurar. Este ano que vem será decisivo nos meus estudos e é para o que me dedicarei quase 100% do meu tempo. Estou me preparando para isto. Estou tentando entrar em uma Universidade Pública Federal para um dos cursos mais concorridos do país. Não tenho como fugir desta rotina pesada caso eu queira realmente este sonho. 

Vi algumas aprovações e a minha nada ainda, fiquei um pouco para baixo, mas dei a volta por cima. Uma das confusões na mente foram por conta destas aprovações de pessoas queridas. Fiz minha parte, as parabenizei e fiquei feliz por ela, mas teve este sentimento que não consegui evitar. Nada mais natural do que se perguntar: "E eu?" e se desesperar nem que seja por alguns momentos. Afinal, somos humanos e nossa fragilidade fica amostra quando levamos um tombo que não é esperado. O negócio é dar a volta por cima e seguir em frente. 

É nosso dever não continuar prostrados e achar um ponto de equilíbrio para se dedicar e fixar a mente, corpo e admiração. Atraia para você coisas boas, energias boas, vibrações excelentes. Atraia vida, perseverança, força de vontade. Viva feliz. E é assim que vou vivendo todo santo e abençoado dia, com uma felicidade adquirida e dada por Deus, que eu nunca teria se eu não me esvaziasse de toda atividade e me enchesse de amor. 

Ache seu ponto de equilíbrio. Achei o meu esta semana depois do caos mental que vivi. Ninguém viu, ninguém percebeu. Não dei o braço a torcer, não mostrei negatividade, não fiquei reclamando, simplesmente guardei para mim, pois sei que passaria (e passou). Nestes lapsos de possíveis desastres tenha jogo de cintura para suportar e sempre buscar a superação, porque estes momentos irão passar de um jeito ou de outro, e quanto menos vocês chutar o balde, melhor. 

Quis conversar com vocês sobre o assunto porque quis esclarecer as ideias e ver se alguém aqui também esta passando por estes vendavais que chegam para todos nós. Eu gosto da promessa da vitória. Ponha-se em equilíbrio. Um maravilhoso e feliz dia. Abraços. 

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.