5 de janeiro de 2016

{RESENHA} A Escolha - Nicholas Sparks


Olá leitores vorazes, tudo bem? Trago hoje a primeira resenha do ano com um livro que além de lindo, foi surpreendente. A Escolha, do aclamado Nicholas Sparks. Comecemos!


Nome: A Escolha
Ano de Lançamento: 2012
Número de Páginas: 307
Editora no Brasil: Novo Conceito
ISBN: 978-85-63219-29-9

De acordo com a sinopse: "Travis Parker possui tudo o que um homem poderia ter: a profissão que desejava, amigos leais, e uma linda casa beira-mar na pequena cidade de Beaufort, Carolina do Norte. Com uma vida boa, seus relacionamentos amorosos são apenas passageiros e para ele, isso é o suficiente. Até o dia em que sua nova vizinha, Gabby, aparece na porta. Apesar de suas tentativas de ser gentil, a ruiva atraente parece ter raiva dele. Ainda sim, Travis não consegue evitar se engraçar com Gabby e seus esforços persistentes o levam a uma jornada que ninguém poderia prever. Abrangendo os anos agitados do primeiro amor, casamento e família, A Escolha nos faz confrontar a questão mais cruel de todas: Até onde você iria manter o amor de sua vida?"

Eis um livro do Sparks que é leve, inspirador, emocionante e recheado de amor. Senti que ele voltou um pouco nas origens dele, quando ainda escrevia Diário de Uma Paixão com muito romance e aquela típica dificuldade que os casais enfrentam em seus relacionamentos, tudo isso deixando os leitores com o coração tipicamente apertado.

E como sou leitor fiel do Sparks (amo a escrita dele), li em menos de dois dias. Como sempre os romances do Sparks me deixam bem aflito, em A Escolha não foi diferente. O livro conta a história de Travis Parker um veterinário formado, bonito, amante dos esportes radicais e da natureza, que cuida de um cachorro travesso chamado Moby. Ele conhece de vista sua vizinha Gabby. Uma mulher independente, atraente, ruiva e dona de uma cadela muito fofa chamada Molly.

Molly engravida e Gabby, com a personalidade forte que possui, vai até o vizinho (Travis), como diz a história com dois quentes e três fervendo, tendo a certeza de que o cachorro do mesmo é o responsável pela gravidez de sua “bebê”. Através dos animais, os donos se conhecem e iniciam uma relação de raiva/admiração que ambos não saberiam que mudaria suas vidas para sempre.

A partir desse gancho para um inevitável romance, Sparks não espera e abusa das oportunidades que surgem, fazendo assim os personagens de maneira calma e deliciosa se conhecer aos poucos, deixarem as diferenças de lado e quebrarem as barreiras da timidez e da responsabilidade (sim em dado momento eles são bem irresponsáveis rs). Mas tem um problema. Gabby antes e durante o seu relacionamento com Travis, tem a missão de se acertar com seu namorado. O qual namora há 4 anos e vive uma linda relação de amor e afeto.

Quando tudo se resolve, Travis e Gabby vivem felizes para sempre. Por enquanto. Num futuro não muito distante, um acontecimento mudaria suas vidas drasticamente. Aí que vem depois de todo o desenrolar dos fatos, a temida escolha que o personagem principal (Travis) tem que fazer perante Gabby.

A pergunta que não quer calar e que está presente em todo o romance é: Até onde devemos ir em nome do amor?

Confesso que fiquei com o coração do tamanho de uma formiga, senão menor. O final foi mais angustiante e eu não sabia qual seria a escolha que seria feita. Eu não consegui adivinhar, confesso. (Valeu Nicholas!) HAHA

Um romance muito bem fechado, com a escrita maravilhosa e aprimorada do Sparks. Fazendo assim eu não me arrepender de ter lido esse romance. Recomendo que vocês leiam, e que a cada pagina virada, sintam o que eu senti. E tenham a certeza de que mesmo a vida sendo infeliz muitas vezes, não vale a pena ser vivida sem uma pitada de amor e simplicidade verdadeira.

Sem contar nessa capa linda e maravilhosa, que por sinal, ainda não mostra muito bem a bela história do livro. Ainda assim, parabéns a equipe da Editora que revisou, supervisou muito bem a parte ortográfica e a parte gráfica/estética do livro. O filme deste romance está previsto para lançamento no dia 5 de fevereiro desse ano (praticamente daqui há um mês). 

Um trecho delicioso logo no inicio do romance que eu gostei bastante foi:

“Histórias são púnicas, assim com as pessoas que as contam, e as melhores historias são aquelas cujo final é uma surpresa.”

Quem não leu, leia. E quem aqui já leu? O que achou? Até breve amigos. 

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

2 comentários:

  1. Esse é meu livro favorito do autor. Todos dizem que seus livros são muito parecidos e de certa forma são, porque falam de amor. Porém, essa obra é meu contra-argumento haha. Acho ela bem imprevisível. Não sabia de qual escolha o Nicholas estava se referindo no título, e toda vez que desconfiava de algo, era surpreendida.

    Carolina Souza
    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Carol! Concordo com tudo o que falaste. Grato por compartilhar.

      Abraços.

      Excluir

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.