8 de março de 2016

{RESENHA} O Diário de Suzana para Nicolas – James Patterson


Olá leitores vorazes. Trago hoje a resenha de um romance espetacular e que me arrancou algumas muitas lágrimas. Estou falando do livro "O Diário de Suzana para Nicolas". Vamos conferir?


Ano de lançamento: 2011
Número de Páginas: 224
Editora no Brasil: Arqueiro
ISBN: 978-85-8041-027-3

De acordo com a sinopse: "Depois de quase um ano juntos, o poeta Matt Harrison acaba de romper com Katie Wilkinson. A jovem editora, que não tinha qualquer dúvida quanto ao amor que os unia, não consegue entender como um relacionamento tão perfeito pôde acabar tão de repente. Mas tudo está prestes a ser explicado. No dia seguinte ao rompimento, Katie encontra um pacote deixado por Matt na porta de sua casa. Dentro dele, um pequeno volume encadernado traz na capa cinco palavras, escritas com uma caligrafia que ela não reconhece: “Diário de Suzana para Nicolas”. Ao folhear aquelas páginas, Katie logo descobre que Suzana é uma jovem médica que, depois de sofrer um infarto, decidiu deixar para trás a correria de Boston e se mudar para um chalé na pacata ilha de Martha’s Vineyard. Foi lá que conheceu Matt. E lá nasceu o filho deles, Nicolas. Por que Matt teria lhe deixado aquele diário? Agora, confusa e sofrendo pelo fim do relacionamento, é nas palavras de outra mulher que Katie buscará as respostas para sua vida. O diário de Suzana para Nicolas é uma história de amor que se constrói ao virar de cada página. Cada revelação é mais uma nuance sobre seus personagens. Cada descoberta é um fio a mais a ligar vidas que o destino entrelaçou." 


Até então, nunca tinha pegado nada do James Patterson para ler. Os leitores amam os seus suspenses e aclamam o autor revelando que ele tem uma escrita concisa e maravilhosa. Como gosto de fugir de opiniões iguais, peguei um livro romântico dele. Jurando que como ele é o ‘MESTRE DO SUSPENSE’, não escrevia tão bem assim um romance. Apesar de seu romance, tecer muitos elogios. Leve engano.

Uma escrita envolvente, muito leve, cotidiana, o autor escreve de um jeito encantador. Um homem com uma leveza descomunal. Igualzinho o Sparks. Resultado: amei o livro, e confesso que chorei com ele. Não tenho vergonha de dizer, tem partes que realmente são fortes.

E eu tenho certa experiência de um familiar muito próximo com o que aconteceu com um dos personagens, então multipliquem aí a emoção mil vezes mais. Chorei bizarramente e dramaticamente. Sério.

Ainda não li nenhum suspense do autor que sempre elogiam. Mas anota aí: quero e vou ler o quanto antes. Enfim, o livro traz a personagem Katie Wilkinson, que por sua vez depois de quase um ano namorando o poeta Matt Harrison, se vê num dilema sem explicação. Matt termina com ela sem dar nenhum motivo.

Pouco tempo depois, recebe um diário do mesmo, e assim decide ler; Ficando assim outrora com raiva, arrependida, confusa, frágil, compreensiva, apaixonada, horrorizada e perplexa.

O diário é penoso, feito por Suzana (ex-mulher de Matt) para o filho de Matt: Nicolas. E acarreta todas as explicações da trama e expõem todos os dramas do passado de Matt, o qual “justifica” o rompimento do relacionamento dele com Katie.

É incrível como os fatos em capítulos tão curtos vão se complementando e dando uma magia especial e explicativa do que aconteceu no passado, acontece no presente e pode acontecer no futuro. A sinopse por si, já diz tudo o que eu poderia falar sobre a obra.

Não se trata de traições (mesmo que possa parecer no decorrer da escrita). Trata-se de companheirismo, amor principalmente, afeição, humanidade, vida, ensinamentos, compaixão, perdão, persistência, força de vontade. Só mesmo lendo para sentir o toque da escrita, rir com os personagens, amar como eles amaram e foram amados. Simples assim.

Achei a resenha curtinha e amei por ter sido assim.  Tem livros que você não se expressa muito sobre ele, mas você só consegue dizer: LEIA. E isso basta. Esse é um desses livros. Recomendadíssimo!

Até breve, abraços literários.

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.