15 de março de 2016

{RESENHA} The Vampire Diaries | 3° temporada



Olá leitores e amigos lindos! <3 Tomei a liberdade de trazer hoje para vocês minhas impressões sobre a terceira temporada do seriado The Vampire Diaries! Antes de mais nada, convido vocês a lerem as resenhas da primeira e segunda temporada antes de continuar aqui. Já peço desculpas adiantado caso eu libere algum spoiler. Vou tentar ao máximo não fazê-lo. Comecemos.

De acordo com a sinopse: "A terceira temporada abre as portas para a história de Klaus e família dos Originais, enquanto os motivos para ele querer Stefan do seu lado são finalmente revelados. Stefan mergulha mais fundo em seu lado negro, e Damon e Elena lutam contra a culpa de estarem se aproximando cada vez mais, mesmo quando eles estão trabalhando juntos para trazer Stefan de volta.

Os fantasmas do passado de Jeremy têm uma poderosa mensagem para lhe dar, isso sem mencionar o impacto que elas estão tendo no relacionamento dele com Bonnie Bennett. Depois do fim emotivo de seu relacionamento com Matt, Caroline se aproxima mais de Tyler, e no meio desse amor, Klaus também se apaixona por Caroline e um novo triângulo amoroso começa.

E no meio de tudo isso, Elijah ressuscita os seus irmãos, Rebekah, Kol, Finn, que antes estava em caixões com um estaca no coração. Entre os caixões, está a mãe de Klaus, Esther, uma das primeiras bruxas e que agora tem o objetivo de acabar com os seus filhos Originais e toda a raça vampírica.
"

Elenco regular: Nina Dobrev, Paul Weesley, Ian Somerhalder, Candice Accola, Matt Davis, Joseph Morgan, Kat Graham, Zach Roerig, Michael Trevino e Steven R. McQueen.

Elenco recorrente: Claire Holt, Susan Walters, Torrey DeVitto, Marguerite MacIntyre, Malese JowAnnabelle, Daniel Gillies, Alice Evans, Jack Coleman, Kayla Ewell, Nathaniel Buzolic, Jamie Wilson e Cassidy Freeman.

Atores convidados: Taylor Kinney, Charmin Lee, David Gallagher, Maria Howell, Dawn Olivieri, Sara Canning, Arielle Kebbel, Lauren Cohan, Jasmine Guy, Kelly Hu, Stephen Martines, Devon Allowitz, Anna Enger, David Colin Smith, Frank Brennan, Lindsey Garrett, Hannah Fierman, Erin Beute e Jason McDonald.



Esta temporada teve 22 episódios e foi um marco na história de TVD, por trazer mais sobre a família dos originais (algo inédito e vago até então), focando em Klaus consequentemente e um marco que todos os fãs esperavam: um possível relacionamento e aproximação entre Damon e Elena. Os fãs piram.

Muito do passado do Stefan é revelado num dos primeiros capítulos desta temporada. Stefan é bem obscuro apesar da banca de mocinho que ele tem na série. Klaus sempre naquela chatice de tentar provar que é o mais poderoso e forte em tudo e vive fazendo planinhos. Pára Klaus. Tu é um vampiro original, poderoso, imortal, vai curtir a vida, dar a volta ao mundo. Fica enfurnado numa cidadezinha para brincar de quem manda, quem não manda. Isso me entedia no personagem. Tanto poder desperdiçado. 

Como é de se esperar muito atores e rostinhos novos, todos com seu mistério, e simpatia (ou não). Mas sempre desempenhando um papel importante na série, claro. Jeremy nesta temporada irritante, como sempre, e nunca sabe de nada. Confuso a cada relance de "eu vejo gente morta". Entendedores entenderão. Que personagem mais nada a ver na série. É como Matt. É a mesma coisa de não existir ninguém. Se eles sumissem não iriam nem notar (argh!).

Há também uma coisa bem chata. É o último ano de colégio para esses adolescentes infinitos se formarem. Cara, esse povo nunca completa o tão sonhado e inevitável, 18 anos. Sempre são menores de idade e indo para a aula sem estudar. Não sei como passaram de ano. Bom, pelo menos alguns. Nunca a série mostrou ninguém estudando e se mostrou (que eu posso estar esquecido) foi de relance. Nenhuma cena significativa. 

Toda a rasgamento de seda para o lado de Elena me dá tédio. Elena só vive fragilizada. Infantil. Amorosinha. Medrosa. PELAMOR, FILHA, REAGE! Seja que nem a Caroline, que apesar de tudo, não é uma mosca morta dependente e aleatória. Vai para o lado bom da coisa e sai do teu mundo de boneca mimado. (Desabafei, mas não aguento tanta besteirol). 


Damon nesta temporada parece um cachorrinho atrás de Elena. Bichinho de estimação mesmo, até parece que ela é de cristal e vai quebrar, isso deve ter adocicado mais ainda os fan clubes. Só eles mesmo para aguentar tanta melação. Há uma diferença entre amar e ser escravo/pau mandado. Respeito e confiança nos abre espaço para amarmos com maturidade sabendo dizer não também. Isso não ocorre com o casal em questão. Todo drama é amplificado. 

Se você não se incomoda com este tipo de relação e comportamento, com certeza será um prato cheio de emoção barata, temo te avisar. Só no episódio que Damon e Elena se beijam que houve um "up" legal na temporada. Também não tinha nem mais graça. Já estava sem esperar que fosse acontecer. Os produtores enrolaram tanto que o beijo saiu quando não tinha mais como segurar. Só a graça. 

Stefan vira a boneca particular de Klaus. Vai para onde o original mandar. Pau mandado mesmo. Damon continua fazendo burrada em toda esquina que passa e muitos acontecimentos são revelados do meio da temporada para o final. Como em toda temporada, e nesta não poderia ser diferente, há muitos conflitos, disputas, sangue espirrando e mortos vivos fazendo arruaça. 

Alaric até que aparece mais um pouco com uns mistérios instigantes, mas não sai do mesmo padrão, sempre perdendo quem ama e não adquirindo poderes significativos. Acho que os produtores não sabem o que fazer muito bem com o personagem e vivem colocando ele nas mais absurdas cenas. Só para tapar buraco, entendem? 

"Finalmente, Bonnie faz um acordo secreto que tem consequências devastadoras." De modo geral, esta terceira temporada para mim, foi muito fraca e decepcionante. Não tive aquela beleza da primeira temporada, onde tudo era mistério e o drama era real. Colocaram Originais no meio e começou a desandar o negócio. Com certeza teve quem gostou, mas eu não fui um deles. Em breve sairá o post da quarta temporada (atualmente está na sétima e estou acompanhando de forma atualizada) e digo a vocês se melhorou ou não.  

Quer saber de mais informações em especial de cada episódio desta temporada detalhadamente? Clica aqui. Alguém aqui já viu esta temporada? Vamos conversar nos comentários. Até amanhã, abração!

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.