14 de agosto de 2016

Eu respiro mudanças


Eu respiro mudanças". Nunca uma frase foi tanto minha como esta ao longo dos últimos anos. A cada tempo que se passa, eu me conheço mais e, priorizo mais. Ultimamente tenho vivido algumas mudanças no meu interior que estão me perturbando e vindo como uma avalanche de preocupações. Estive reavaliando o que de fato tenho na minha vida, quais são minhas prioridades, como devo agir daqui em diante. Como selecionar. Falo em tudo. 

Por exemplo: minhas amizades são verdadeiras a tal ponto de eu não ver problemas em tê-las. Entretanto, tem de haver um limite. Para que tudo seja saudável e linear. Organizado na maioria dos casos. O mesmo se aplica ao meu Facebook pessoal. Fico nessa inconstância com esta mídia social. Já excluí, reativei, desativei, limpei, formatei, voltei, limpei outras várias vezes, bloqueei e hoje estou com o perfil novamente. Simplesmente não sei como lidar.

Há quem diga: "Ah, Ewerton! Mas é só uma rede social, me poupe", ou então: "Eu acho normal, isso nem passa pela minha cabeça". De fato. As vezes penso que só eu ajo e penso dessa forma. Que só eu - no meio de todo meu ciclo de amizades, até onde sei, até agora - fico incomodado com essa exposição da minha vida pessoal. Mesmo que seja para pessoas conhecidas. Especialmente para elas. 

Tenho pensado como eu poderia - e como posso - viver a vida com mais significado, selecionando melhor o que posto, quem verá minhas publicações (seja em qualquer lugar, inclusive aqui no blog, que até então é um espaço aberto ao público), como vou publicá-las, etc. Fico muito incomodado porque meu planejamento de vida não é neste padrão prisional. Sim, estou começando a achar que mídias sociais mesmo com pouco ou intensivo uso, são prisões virtuais. Não sei se estou viajando na maionese ou o que é. Só estou tendo esta impressão baseado inclusive no que vivo diariamente. 

Só o fato de eu estar me preocupando com o que vou postar e com o que A ou B vão achar, a partir do momento que isso interfere na minha vida física, no meu emocional - de forma negativa ou positiva - venho a constatar que de fato é uma prisão. E bem poderosa. Mas voltando ao foco do texto. De qualquer maneira, tenho pensado em viver uma vida mais simples. Com mudanças significativas, com pessoas que realmente vão acrescentar na minha vida e que sejam para sempre. Quando eu precisar. A relação será mútua. Também sempre estarei lá sendo leal. 

Sou muito leal. Vocês não tem noção. É de mim, da minha existência, sério. Sinto que minhas forças estão sendo dispersadas com muitos perfis aleatórios. Quero juntar meus pedaços que ficaram em cada pessoa sem sentido para mim, e voltar à minha realidade. Não digo me fechar ao meu mundo, até porque acredito no convívio social e creio que deve sim existir, é imprescindível. Mas falo mais no ponto de manter minhas bases e convicções longe de quem não me entendeu ou que não simpatiza com minhas opiniões (novas ou antigas). 

Atualmente tenho muitos colegas que não me acrescentam em nada. Estou mudando, formando bases sólidas, opinando mais com base, estudo e conteúdo. Reformulando minhas ideais e criando meu senso crítico apurado. Sinto que as pessoas ao meu redor não estão acompanhando esta mudança, mesmo estando no mesmo ambiente que eu muitas vezes. Estou querendo mostrar minha força a mim mesmo e ao mundo de maneira consistente e avassaladora. Estou caminhando para o meu auge em vários setores da minha vida. É o começo da minha reestruturação e ascensão. Pelo menos é assim que sinto. 

Muitos que estão ao meu redor já sentiram algumas mudanças no meu comportamento, nas minhas mídias sociais. É natural. Porém, estou tendo cuidado da maneira que executo tais mudanças, afinal é eu que estou vivendo essa mudança, não os outros. Ainda me preocupo em não passar uma ideia de mudança negativa ou duas caras. Que eu tinha falsa amizade, etc. Não quero jamais. Até porque, sem dúvida alguma, sempre fui verdadeiro onde passei. Assumo o que falo e me responsabilizo total. 

Estou preocupado com algumas coisas que estão ocorrendo este final de semana e amanhã vou resolvê-las. Hoje só quero repensar alguns valores, excluir preceitos que não me representam mais, pensar e mastigar algumas mudanças e executar mais algumas certezas. Eu respiro mudanças. Frase esta que está tatuada no meu coração de forma eterna. Um abraço de luz. 
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.