30 de julho de 2015

Feiras orgânicas, o que são?


Olá meus leitores queridos. Venho falar com vocês no post de hoje sobre um tema bastante interessante para mim (e com certeza para muitas pessoas): as lindas feiras orgânicas! Pois bem, feiras orgânicas são feiras naturais (ao ar livre) em mercados abertos, pátios, ruas, etc. que vendem frutas, leguminosas, verduras e sementes (em algumas delas) cultivadas em um processo inteiramente orgânico, ou seja, sem a adição de conservantes, agrotóxicos ou quaisquer produtos químicos que aceleram o metabolismo do vegetal e/ou podem causar algum dano ao ser humano. Mas para entendermos do que se trata essas feiras, precisamos ter conhecimento de informações básicas sobre o assunto.

Trata-se de frutas, verduras e legumes inteiramente saudáveis num ponto de vista econômico um pouco mais elevado (mas não tanto assim). Nada de adubos químicos, pois os agricultores e produtores dos alimentos possuem um sistema de cultivo e observação respeitadora do ciclo vital do solo e das plantas, respeitando assim, o meio ambiente e a “retirada” de seus recursos naturais. 

Pode-se dizer que o solo é a base da produção desses alimentos. Com o aprimoramento e aperfeiçoamento do solo (com a colocação de cascas de frutas, esterco, restos de verduras, etc) os micro-organismos naturais da terra nutrem assim o alimento e, com mais água, gases (ar) e minerais tornando-os mais fortes, brilhosos e saborosos.


Comprando produtos orgânicos, estamos melhorando nossa qualidade de vida (sempre bom aliada ao movimento e exercícios físicos) consideravelmente, pois reduzimos (e muito) o risco de doenças hormonais e diversos tipos de canceres. A única desvantagem como citado lá em cima é o preço. Mas com organização e noção de estoque, talvez (depende de cada família) saia até mais econômico se render aos orgânicos. Principalmente a longo prazo.

Cana orgânica, morangos orgânicos, mangas orgânicas, soja orgânica, cacau orgânico, gengibre orgânico, guaraná orgânico, pêssego orgânico, uva orgânico, rapadura orgânico, tomates orgânicos, etc. são alguns produtos que são fabricados em grande escala aqui no Brasil. Sem contar que os orgânicos economizam água, a energia, restaura a biodiversidade e é certificado e reconhecido.


Há um bom tempo venho me organizando para ter uma alimentação mais balanceada e reduzi o consumo de carnes (de todos os tipos) e venho analisando bem em trocar todas as frutas, verduras e legumes que compro no supermercado pelas das feiras orgânicas.

Sempre tenho em meu pensamento que é melhor comprar na feira do que na farmácia, não é?

Aqui em Pernambuco, por exemplo, tem diversas feiras tanto nos interiores do estado, quanto na capital Recife. Dentro do Grande Recife se abre um leque de possibilidades. Jaboatão dos Guararapes, Bairro da Boa Vista, Olinda, etc etc possuem – em vários pontos – uma vez por semana a feira orgânica. Só procurar, na internet tem todos os endereços detalhados. Eu por exemplo, fica mais viável para mim, fazer na cidade (Boa Vista) aos sábados pela manhã ou no bairro de Prazeres, se eu não me engano nas sextas-feiras bem cedinho.


Há muito pouco interesse em se vasculhar esse assunto mesmo ele sendo tão interessante e importante. Deveria ser obrigação de todos mudar seus hábitos alimentares e colaborar com um meio ambiente mais puro e diversificado. Só a água que é gasta para lavar os matadouros e no processo de criação da carne (de vários segmentos) é uma agressão absurda à natureza. Mas isso é assunto que irei abordar em outro post. 

Então ao menos reduzir o consumo de carne talvez seja interessante. Aqueles que levam uma alimentação semivegetariana, ou seja, colaboram ingerindo em menor escala a quantidade de carne, muitas vezes dão a desculpa de que não conseguem (ou não vêm necessidade) de parar por completo o consumo de carne e a reduz. É o meu caso. Já passei um período sem comer carne e optei por continuar comendo-a, porém reduzindo o consumo. Tem fluído bem até agora.

No todo, cada um de nós tem o dever de refletir sobre estas questões. Uma questão leva a outra, um por um se ajuda e ajuda ao próximo e, daqui a pouco, numa força de milhões, estamos revertendo os danos que nós mesmos causamos diariamente à natureza com muita consciência e convicção do que estamos fazendo e com que finalidade. Termos cuidado com nosso bem-estar e saúde e com o planeta é nossa obrigação. Temos que incentivar e conscientizar mudanças de hábitos! Comer melhor (e principalmente mais saudável) e ter atitudes ecológicas é primordial.

Neste post minha intenção foi ter um papo com vocês sobre este assunto de alimentos orgânicos. Eu já venho analisando a possibilidade de aderir a este costume há um bom tempo e quando eu começar os meus próprios testes comento com vocês aqui no blog. 

Vamos falar sobre o assunto! Vocês já tinham ouvido falar, pesquisado sobre o assunto? Alguém aqui já aderiu o consumo destes alimentos orgânicos? No que melhorou a saúde? Estou aberto à debates construtivos, grande abraço!
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.