20 de junho de 2015

Tempo para ler. Será que nunca temos?

Fonte: DeviantArt
Meus queridos e queridas leitores (as), é tão comum vermos pessoas dizendo: “não tenho tempo para ler” não é? O que é sem dúvida é até “entendível”, pois no mundo moderno – e louco – de hoje, onde não temos tempo para nada, às leituras realmente são gravemente prejudicadas. Para quem tem disponibilidade de tempo eu só digo uma coisa: vai fundo e lê o dia todo se conseguir. Já para quem tem mil e uma atividades, vamos conversar sobre, HAHA. O meu conselho é: LEIA em todo lugar, todo intervalo, toda pausa tenha em mãos um livro, dois ou até três.. apenas. 
E antes de tudo a pergunta que não quer calar: você prioriza a leitura em algum momento do seu dia? Se a resposta for não, certamente você não lerá mais do que uma placa de parada de ônibus. Tem que priorizar ao menos uns minutinhos diários para a leitura, senão não rola.

Nós temos momentos de loucura intensa onde só não enlouquecemos não sei por quê. Eu quando ia para a escola, sempre ia com um livro na bolsa, pegava-o durante a “viagem” no ônibus, e quando tinha o intervalo na escola, ia para uma biblioteca e lia, lia, lia, até o sinal tocar. Afinal não era tanto tempo assim, diversas vezes fiquei na sala por não querer perder tempo me locomovendo pela escola. Tinha vezes que eu ia lá para o fundão da sala fazer algo não recomendado, mas que me fazia bem: ia ler. Um livro que eu tinha pego na biblioteca mais cedo e ia ler na hora da aula. 
Na sua vida não é diferente. Se você faz escola ainda, trabalha ou não, faz faculdade, e não acha tempo para por as leituras em dia, comece a ler no caminho do trabalho, num ônibus, num metrô, até andando é possível se você morar perto do trabalho ou da escola. Só não durante a aula, hein. Perdi muito o costume de andar lendo, pois com essa violência generalizada ou até mesmo distrações na rua, acabei não querendo me acidentar ou até mesmo dar meu celular de graça, hahaha.  Lia muito andando não por não ter tempo e sim por estar sedento de palavras.
Seja produtivo e organizado em suas leituras! Além de causar seu bem-estar, você estará cumprindo metas (que vai te animar mais ainda!) e vai estudar e harmonizar seu equilíbrio sem estresse ou pressão. A única pressão será a que você mesmo impor a si mesmo. Não exagere, você tem que se conhecer o bastante para respeitar seus limites. Isso é em tudo. Ordem. Use a tecnologia para te auxiliar nessas leituras diárias também. Tudo é válido quando não te prejudica. Playlists também podem ser uma maravilha. Faça diferente.

Creio que com organização e aproveitamento do "escasso" tempo que temos (que não deixa de ser igual para todo mundo), podemos driblar e aproveitar os pequenos espaços de tempo que compõem nosso dia. Mesmo que seja por um tempo (pois não devemos ultrapassar nossos limites, devemos ter um tempo para respirarmos) façamos da nossa rotina um pouco disso: aproveitamento. 
Isso até nos motiva a não pararmos e deixarmos a preguiça de lado. Sem contar que as leituras “andam” não é? E se você estiver lendo mais de um livro ao mesmo tempo, um livro por turno, por exemplo, tudo anda mais rápido que o normal e você muitas vezes tira um peso e não fica com tanta culpa na consciência. Porque claro, sabemos que quando não lemos um livro ou ainda o deixamos pela metade não finalizado, ficamos com um peso na consciência e cheios de frustração perseguidora (risos nervosos). 
Para que isso não ocorra, vamos aperfeiçoar nosso tempo, aproveitando até um intervalo, uma pausa para o lanche que sempre temos, para lermos ao menos um capítulo. Pegue um papel e uma caneta (que prefiro) ou abra o word e faça seu horário diário e separe um tempinho para a leitura.

E vocês? Como usam o “tempo livre”? Usam para a leitura? Como usam os intervalos e pausas de trabalho, de recreação? Usam para ler? Compartilhe nos comentários a ação mais louca e inusitada que você já fez para conseguir ler ao menos um capítulo quando sua rotina estava totalmente fora do padrão normal. HAHAHAHA Um ótimo dia anjos queridos.
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

2 comentários:

  1. Realmente tenho que admitir que não me organizo tanto assim para ler. Geralmente leio no ônibus, ou uns minutinhos à noite antes de dormir, ou quando tenho vontade e um livro à mão. Mas gostei das dicas, aproveitar os intervalos que se tem no dia para ler nunca é má idéia.

    aguardandoocamaleao.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas que não é! Obrigado por ter dado uma passadinha por aqui querida Flávia! Aproveitar o precioso tempo que temos é a chave. Abraços.

      Excluir

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.