23 de julho de 2015

Lidando com a falta de paciência


Buzinadas no trânsito. Na família foi dito algo estúpido. Xingamentos e palavrões na porta de entrada da padaria às seis e meia da manhã. "Aquela pessoa não tem acesso a gramática, não?" Empurrões no transporte coletivo. "O calor foi demais hoje". O chefe é insuportável. ETC, ETC, ETC, ETC, ETC. São inúmeras as situações no dia a dia e além dele que pode nos comer o juízo e corroer a nossa paciência. A forma que reagimos a essas situações é que faz toda a diferença entre você querer se matar ou simplesmente se acalmar.

Vivemos numa era, a chamada era tecnológica, que o aparecimento de pessoas pacientes se tornou algo incomum. Não podemos sair de casa que vemos alguma exaltação, estresse e desespero por coisas muitas vezes ridículas, mas que ninguém quer perder ou ficar para trás. Ceder? Imagina. Parece até um absurdo. A explosão que a sociedade atual vive é de partir o coração. Gentileza e paciência realmente não é algo muito usual para uma parcela das pessoas de nosso tempo. Todos cheios da razão, algum conhecimento e vontades divinamente supremas. 

A paciência deve ser exercitada. Posta em prática constante. É um fato comum vermos muitos acontecimentos no ambiente de trabalho, nos estabelecimentos, na rua de nossa casa da nossa janela que nos revoltam e nos fere o ego. Ultimamente respeito e consciência está sendo usado por poucos. Sabemos bem. Ficamos assim com uma falta de paciência  tremenda e quase nunca controlamos nosso temperamento e fazemos ou falamos bobagens. Exercitar a paciência vai nos dar a chance de fazer diferente diariamente. 

"Paciência é uma virtude", e já posso dizer que pode ser adquirida. Meditação ajuda a se concentrar, ter foco e ter paciência no dia longo que devemos enfrentar? Certamente sim. Exercício físico para desestressar ajuda a ter maior controle à mente sã e ao corpo ajudando na paciência? Creio também que sim. Exercitar a fé indo para a igreja ajuda a regular a paciência no seu ápice? Pode ser que sim também. Mas tudo depende de como lidamos com a falta de paciência. 

Não podemos esperar que alguém nos ajude a ter mais paciência ou nos livre desse mal de nosso tempo. Nós mesmos devemos mudar nossa perspectiva com o atual, com o momento, com a falta de paciência. Porque ao invés de responder a uma afronta, não nos retiramos do local se possível? Isso não ajudaria? Veja bem, nunca vou dizer que é ou vai ser fácil. Nem pense nisso. O sangue ferve, queremos ter a razão (muitas vezes a temos), mas corresponder é o erro. E o risco. 

A vontade de devolver o golpe é algo natural. Nosso controle sobre a nossa própria vontade é o que muda tudo. Tudo muda COMPLETAMENTE quando nos autocontrolamos. Já ouviu dizer que quando um não quer dois não brigam? Isso é certeiro. A falta de paciência muitas vezes nos levam a abismos difíceis de sair. Quantas pessoas apenas estavam se paciência naquele dia e discutiram com um desconhecido e acabaram sendo assassinadas? São inúmeros casos. Um simples mal humor, uma dose de falta de paciência e uma questão de não deixar passar. Isso foi fatal para muitos.

Temos a paciência comum diária. Lidando com outras pessoas. Mas e quando se trata de ser paciente para colher os frutos do esforço? Muitos querem resultados imediatos, respostas o quanto antes, soluções milagrosas. Poucos se apetecem a pagar o preço. A saber ter paciência e esperar o melhor. Positividade e fé ficam algumas vezes esquecidas e dão muitas vezes razão à ansiedade e à murmuração. Nós não precisamos nos portar desta maneira. Tudo chega no seu tempo certo e da melhor maneira que precisamos. Não se pode ter apenas trabalho duro, é preciso ter maturidade para saber esperar e confiar. 

Confie e deixe a falta de paciência para os que vivem entre a corda bamba. Você sabe e tem a certeza que vai chegar a sua vez? Então espera, tem paciência e confia. Forte e vigilante no alvo. No objetivo. Nosso querer pode fazer mágica quando condicionamos tudo e toda nossa virtude para tal coisa. A falta de paciência e medo do futuro pode ser um castigador cruel, mas nós também podemos o prender toda vez que eles aparecerem. 

Quem é paciente é muito confiante. Estuda melhor, se concentra mais, não se desespera com um resultado aparentemente definitivo. Insiste, persiste e age com inteligência. Não podemos ser aquelas pessoas de almas frias que nada temem, mas também nada constroem. Nada esperam, nada ficam na expectativa paciente. O paciente muitas vezes lida melhor com situações de tensão, pois tem o controle e ambição pessoal apuradas.

Pais impacientes com seus filhos grandes ou pequenos, falta de educação pela simples falta de espera, atitudes vergonhosas de quem não sabe ter paciência... até quando? Como todo mundo é todo mundo e diferentes entre si, sempre haverão pessoas sem paciência. Mas que eu e você sejamos pacientes de agora em diante. Temos nossos momentos de auto destruição, porém não podemos deixar isso virar rotineiro.

Houve um tempo que minha paciência estava sempre no limite. Desde quando eu acordava até ir dormir outra vez. Tinha muito a ver com algum tipo de frustração pessoal que eu tivesse tido anteriormente e eu acabava descontando nas pessoas ao meu redor. Magoando umas até. Quando uma palavra que não saía do jeito que eu queria me irritava como se tivessem batido no meu rosto. Foram dias e meses em que perdi muito. 

Atualmente tenho exercitado minha paciência, feito atividades que me relaxam (yoga é a que mais recomendo para relaxar a mente) e melhoram meu gênio (sou uma pessoa muito geniosa) e tenho procurado ver o bom em tudo ao meu redor, balanceando isso com minha paciência. Mudei muito minha forma de interação. Confesso a vocês que a leitura, o ato de parar e ler um livro, me concentrou e treinou minha paciência de forma surreal. Recomendo a prática de leitura todos os dias. Creio que até pode ser terapêutico, vale tentar. 

Finalizo aqui perguntando a vocês como vocês lidam com a falta de paciência no dia a dia de vocês. Alguém aqui é muito paciente? E quem tem o pavio curto e o que isso te prejudica na tua rotina? Vamos falar sobre o assunto, todo diálogo pode ser usado para nosso crescimento! Abraços pacientes.

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.