23 de setembro de 2015

O armário e suas exigências


Sempre fui muito ligado em moda masculina por mais que eu não me vestisse como certos blogueiros famosos que lançam look's diferentes diariamente. Acredito fielmente que a verdadeira moda é aquela em que você se identifica e se sente bem. Simples assim. Pode parecer clichê, mas sempre segui uma moda pessoal e nunca fui de usar algo porque a metade do mundo está usando. Não me sinto nada bem, então na moda, sempre andei um pouco na contramão do que é considerado o belo.

Vim conversar com vocês aqui um pouco sobre Minimalismo, desapego, moda masculina e Organização no armário (no sentido de guarda-roupa) e como tenho feito nos últimos meses dizendo como experiência singular. 

Há meses comecei a reduzir aos poucos meu guarda-roupa. Na verdade até me desfiz do meu guarda-roupa e comprei uma cômoda fininha com quatro gavetas sendo a última mais um pouco espaçosa que as demais. Reduzi calças, blusas, cintos, camisetas, sapatos e outras coisas mais. Reduzi bastante. Classifiquei mentalmente, não fiz uma organização minuciosa, quais roupas iriam para quais gavetas e comecei a distribui todas muito bem dobradas, limpas e passadas. 

Coloquei categorias simples como "Blusas para sair", ou "Roupas para ficar em casa", etc e fui selecionando as peças. Excluí as que eu não tocava a meses, relembrei de outras peças que eu nem sabia que existiam ainda e renovei meu guarda-roupa me desafazendo de algumas peças e sem comprar nada novo. 

O que é interessante é que geralmente não compro roupas a não ser nas datas comemorativas. Hábito que já venho quebrando faz tempo, pois no Natal, Ano Novo, São João, etc., tenho ficado mais em casa do que viajado nos últimos anos. Então não tenho muito a necessidade de necessariamente comprar. Conservo minhas roupas e elas duram bem.

Fui bem minimalista com o armário e suas lindas exigências. Meu antigo guarda-roupa, que era enorme com um espelho de vidro gigante sendo uma das portas, só ocupava espaço e enchia de poeira. Na hora de limpar era um sufoco de tão espaçoso e cheio de treco. Agora com minha cômoda, o quarto está bem mais espaçoso, bom de circular e claro. Gosto de móveis mais pretos, o que na minha opinião, acaba deixando o ambiente mais sofisticado. Meu quarto ficou assim.

Até para arrumar a pequena bagunça que acaba se formando no dia a dia é um alívio. Em menos de 20 minutos arrumo tudo e para limpar basta passar um pano úmido com algum produto que a cômoda fica brilhando. Coisa de no máximo dois minutos. Bem melhor esta praticidade, né? Consegui me adaptar muito bem com a redução extrema e, se eu soubesse que me sentiria assim e minhas roupas estariam organizadas deste jeito, já teria feito esta mudança há muitos anos atrás. 

Me desfiz de algumas peças doando. Só não doei cuecas e meias porque estas coisas não se doam, rs. Mas do restante até sapatos dei. Hoje só tenho dois pares de sapatos. Um para sair no meio social, que serve para quase tudo e outro par para caminhada e exercícios, já é mais de esporte. Somente. 

Pergunto a vocês: como vocês têm feito com a arrumação das suas roupas? Como anda sua organização com seu armário exigente? Você não acha que está na hora de desapegar de algumas peças, não? Vamos conversar sobre o assunto. Grande abraço.
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.