27 de setembro de 2015

O que afinal é minimalismo?


"Menos é mais."

Quando falamos, comentamos ou discutimos sobre minimalismo, podemos entrar em muitas vertentes dentro do assunto. Não é algo para nos preocuparmos, mas é sempre bom ter em mente o que minimalismo representa e significa na nossa vida, creio que é partir desse ponto de reconhecimento, que começamos a aplicá-lo de verdade no nosso dia a dia e muitas coisas fazem sentido. Vamos conversar um pouco sobre o minimalismo? 

Muitos estão vendo o minimalismo, até por falta de familiaridade com o tema mesmo, como uma tendência e/ou modinha recente que chegou para te fazer reduzir tudo ao máximo (e muitas vezes prejudicar-se a si mesmo) sem muitas regras. Só que não é bem por aí. Deixa eu explicar. 

Minimalismo é de acordo com o site Significados: "Minimalista é algo ou alguém adepto daquilo que é simples e elementar, considerado um estilo de vida para indivíduos que buscam o mínimo possível de meios e recursos para viver." Eu não poderia explicar melhor. Com tudo o que eu aprendi com minimalismo nos últimos meses e, com tudo o que eu tenho aplicado do mesmo, digo que minimalismo é redução com qualidade e sentido. 

Sigo dizendo (e escrevendo) que minimalismo é sim um meio de você reduzir, filtrar e/ou selecionar tudo o que você quiser de bom para sua vida, o essencial, o necessário, cortando assim os gastos e coisas, pessoas, sentimentos e todo o resto que são "superficial" ou até mesmo desnecessário. Há muito o que se fazer quando dizemos que vamos filtrar algo ou alguma coisa. Sempre dá um trabalhão, porque antes de tudo, temos que ver se aquilo ali que será reduzido será por um proposito maior ou terá sentido se desfazer, ignorar e se libertar. 

Confesso a vocês que não sou minimalista. Tenho alguns quereres nada minimalistas que nunca deixarei de lado. Mas tenho aplicado alguns conceitos do assunto na minha vida e tem dado super certo. Por exemplo, no guarda roupa. Ou melhor dizendo, na cômoda. Pratiquei o minimalismo com os móveis do meu quarto e reduzi tudo o que era sobra num dos meus ambientes em que estou mais presente. 

Hoje só tenho minha cama, minha cômoda e meu home office de um lado separado. Somente. Nada visualmente poluído ou apertado. Tenho maior agonia com imprensado e o fato de ter a circulação interrompida iria me frustrar a cada passada. Ando reduzindo a papelada, pois acumula muito sem você perceber. Tudo eu quero trazer e isto acaba acumulando, pois só vou analisar o que eu trouxe alguns dias depois. Então me pergunto: cadê o propósito? Porque estou com isto aqui? E resolvo. 

Nos últimos meses venho com um programa pessoal intensivo em digitalizar minha vida o máximo que eu puder, começando pelo meu computador, local de onde dependo quase cem por cento de tudo para fazer acontecer. É muito bom sentir que você conseguiu organizar muitas coisas que vinham te incomodando há meses. Como tenho muitos gostos (em todos os gêneros de livros, músicas, filmes, seriados, animes, quadrinhos, etc.) gosto de tudo muito bem organizado, entretanto, sempre baixo, compro e produzo muitas coisas. Isso tudo vem de uma vez só e uma onda bate me levando para documentos e compartimentos lotados do computador. 

Venho organizando, limpando, deletando, enumerando muitos arquivos e isto tem ficado cada vez mais intensivo. Tenho usado o minimalismo para algumas destas coisas e tem funcionado. Meu computador hoje em dia é muito mais organizado por conta disto. 

O minimalismo desde o século XX exerceu grande influência tanto na arte como na literatura, design e no ramo musical. É um tipo de minimalismo diferente que mostra que em vários segmentos da nossa vida, é utilizado com o propósito de reduzir ao elementar. Há também o minimalismo na política, porém este tem um significado mais diferenciado. São políticos que impõe quase nenhuma reivindicação ou mudança no sistema político que estão inseridos. 

Vejo o minimalismo ser muito associado ao clean, ao visualmente simples, ao pouco. Tem um pouco disto também, afinal de contas, algo que é minimalismo não pode ser tão poluído visualmente. Gosto de praticar o minimalismo em alguns sentimentos. Pratico o minimalismo nas minhas emoções negativas mais perigosas como raiva, ódio, inveja ou insatisfações. Todos nós temos estes sentimentos um momento ou outro. Minimiza-los é que faz toda diferença. Posso dizer que maximizo o amor, o carinho, o respeito, a confiança, a sensibilidade, o bom caráter. O minimalismo é um forte agente para o equilíbrio. 

Praticar o minimalismo nos estudos também é deveras importante. Não se passa em um concurso, vestibular ou provas de escolas e faculdades abraçando todos os livros. Selecionar seus conteúdos, seus textos, seus resumos, seus materiais, podem te economizar bastante tempo e proporcionar a tua aprovação. Minimalismo nos estudos é essencial. Saber selecionar te economiza tempo, que é ouro. E quando falo nos estudos falo no assunto itens de papelaria também, hein. O minimalismo no assunto é comprar somente os itens de uso necessário, que não interfiram de forma negativa nas tuas metas diárias. Acho válido.

Tenho usado o Minimalismo na tecnologia também. Recentemente me desfiz de quase todas as minhas redes sociais. Só estou com o facebook (que já está com os dias contados), com o instagram e com o whatsapp pessoal. Reduzi a maioria das redes sociais do blog também para simplesmente focar nelas com mais veracidade. Reduzi as horas em frente ao computador e na onipresença do celular. Tem dado muito certo, perdendo menos tempo com a tecnologia. Usando-a somente para meu sucesso, com muito mais moderação.

Nos últimos anos, o que é tido como legal, é abraçar o mundo com os pés, mãos, braços, pernas e olhos. Tudo deve ser aceito, recebido, compartilhado, comentado, curtido e aproveitado. Muitas pessoas não entendem o porquê de alguém querer ser minimalista hoje em dia, no século da informatização e tecnologia social comunicativa, por conta das restrições. Já eu acho essencial caso você não seja minimalista, ter assim como eu, algumas tendências ao tema. Porque alguma hora você terá que reduzir para poder sobreviver. Não somos multitarefas. Antes de qualquer coisa: seja feliz!

Caso vocês tenham alguma dúvida sobre o assunto e eu não comentei aqui neste post, vamos conversar e aprender juntos. Para você, o que é Minimalismo? Você acha importante hoje em dia ter uma postura Minimalista? Abraços.
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.