19 de novembro de 2015

Consumo consciente faz toda diferença



Quantas vezes, na correria do dia a dia, acabamos por não economizar ou estragar nossos recursos finitos seja pela falta de atenção ou consciência? Tantas vezes! Nossos momentos de descontrole gritam ao socorro, infelizmente. Muitas vezes, e falando por mim, acabo sem perceber extrapolando a cota de consumo permitida por mim e acabo com dor na consciência por ter estrago muita água, ou muita energia, ou muito isso, ou muito aquilo.

Creio que o negócio é não vacilar. Fazer do consumo consciente um hábito a ser seguido em todas as horas do nosso dia. Tenho feito algumas coisas que não tem me agrado por pura falta de hábito. Elaborei três tópicos de coisas básicas que englobam quase tudo na minha vida e que vou dar mais atenção e parar de fazer bobagens neles. Recomendo que vocês, caso já não o façam, também comecem a aderir estas "ordens" de sobrevivência de todos nós e das gerações futuras. Eis que são:

1) Economizar mais na energia;

Em especial nas lâmpadas e ventiladores. Eu desde um bom tempo já vinha economizando neste dois aspectos. Desligava todas as luzes dos cômodos que ninguém estava, não ligava mais ventilador de dia, porém, com o verão aqui no Nordeste o calor está de matar. Seis horas da manhã já está um sol de meio dia e não estou sabendo lidar. Geralmente não fico tão calorento e passo sem ligar mesmo suando. Há uns dias comecei a ligar o ventilador de novo e vi que isto se tornou um hábito fácil de ser repetido. 

A partir de hoje, comecei a parar de usar o ventilador novamente, e 1) espero que ajude o meio ambiente 2) espero que a conta de luz baixe novamente. Nunca fiquei muito bem com a ideia de ficar o dia todo com o ventilador ligado e isto gera uma ideia de completo desperdício de recurso. Lâmpadas, eletrodomésticos em falta de uso, e tudo relacionado a energia, será barrado hoje. Consumo consciente já!

2) Economizar mais água;

Confesso que desleixei do consumo da água. Água para beber eu bebo muito e esta é essencial. A água que estou preocupado é a água de lavar a louça. A água da descarga do sanitário. A água da limpeza diária. A água das torneiras, especialmente a da torneira do banheiro onde se faz a higiene bucal. Tenho ignorado o estrago e isso para hoje também. Vou retomar o hábito de um copo para escovar os dentes, menos de dez minutos num banho e opções mais sustentáveis para limpeza. 

3) Consumo online.

Deixe-me explicar. Quando me refiro a consumo online me refiro ao tempo que venho gastando online. Mesmo tendo tirado quase todas as minhas redes sociais pessoais (como já disse em vários posts só tenho o Whatsapp e o Instagram (@ewertonlenildo) pessoal), restaram as redes sociais ativas do blog (Instagram, Facebook (Página e perfil), Twitter, Pinterest, Tumblr, Bloglovin, EyeEm) e estas me consomem um bom tempo também. Especialmente o Instagram e o Twitter. Estive repensando a importância e necessidade de permanecer online meio que onipresentemente (se é que existe esta palavra, hahaha)  e isso tem me irritado. Muitas vezes entro pelo costume mesmo, pois nem vontade de estar online tenho. 

Inclusive, até tirei o aplicativo do Tumblr, Facebook, Messenger, Skoob, Gmail e mais uma porrada de aplicativos que eu não uso faz um bom tempo por conta destas questões. Tenho mais limpezas para fazer, ainda vou testar alguns aplicativos para ver se os excluo mesmo. Essa onipresença online é um perigo e tem me desgastado muito. Creio que definir um horário para mexer nas redes sociais (pessoais e profissionais) seja de acordo com sua rotina em um ou no máximo dois horários específicos. Tem de haver equilíbrio. 

No mais quis somente conversar com vocês sobre o assunto porque sei que esta limpeza mental é o refúgio certo para definir prioridades e o que deve permanecer ou ser mudado. As coisas que não irão mais permanecer devem estar bem claras em nossa mente e só então deve-se partir para a ação sem medos ou ladainhas. Simplicidade é tudo de bom. 

Como tem andado o teu consumo atualmente? Tens se agradado da forma que tens usado teus recursos finitos? Falemos sobre o assunto. Um lindo abraço. 

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.