9 de dezembro de 2015

{FILME} Amizade desfeita de Levan Gabriadze


Para fechar este mês de Novembro (que fiz ser maravilhoso, hahaha) venho com minhas observações a cerca deste filme que assisti no cinema e perdi todas as minhas expectativas. Já adianto que esta é uma resenha para lá de negativa e o filme é péssimo. Vim recomendar que vocês não o assistam. Vamos lá? 


Nome: Amizade Desfeita (Unfriended, em inglês)
Data de lançamento: 12 de Novembro de 2015 no Brasil
Direção: Levan Gabriadze
Roteiro: Nelson Greaves
Duração: 83 minutos
Alguns nomes do elenco: Heather Sossaman, Moses Storm, Renee Olstead, Shelley Hennig, Will Peltz, Courtney Halverson e Matthew Bohrer.

De acordo com a sinopse: "Quando um vídeo constrangedor de Laura Barns (Heather Sossaman) cai na internet, a menina tira a própria vida no pátio da escola. Um ano depois, um grupo de seis amigos (Courtney Halverson, Shelley Hennig, Renee Olstead, William Peltz, Moses Jacob Storm e Jacob Wysocki) conversam via Skype e percebem que há uma sétima pessoa desconhecida na vídeoconferência, que revela ser sua ex-colega de classe, Laura, exigindo saber quem postou o vídeo que a levou à morte. Eles pensam que é uma brincadeira mas logo descobrem que há algo estranho, já que a menina começa a revelar segredos dos amigos e os ameaça de morte."


Já começo desprezando o trailer e o chamando de apelativo e cheio de spoilers dos segundos que o filme tem de empolgação. Não vejam o trailer, para quem não assistiu o filme, vendo toda a imagem de que o filme é espetacular e o melhor terror de todos os tempos. Porém o filme todo é resumido em pouco mais de dois minutos de trailer. 

Fui ver o filme querendo encontrar algum respaldo de introdução digna, um preparo de terreno de como as mídias sociais e a tecnologia influenciaram esta geração tecnológica e primeiramente todos os benefícios que ela traz, como a eternização de memórias e bons momentos, mas nada disso nos é apresentado. 

Somos logo jogados em péssimas condutas de adolescentes e terror online. Muito sem sentido, pois o filme não nos prepara para tais acontecimentos negativos na web. Chega até a irritar não ter uma introdução digna num tema que poderia ser explorado de maneira ESPETACULAR. Perderam a premissa honrosa. 

O filme é classificado como terror e é proibido para menores de 16 anos. Não vi nenhum motivo de restrição para 16, um adolescente com 12, 16 anos vêm coisas piores na televisão diariamente. Terror? Onde tem? Nem aquele medinho de suspense tem meus amores! Incrível como neste filme as críticas negativas se elevam às positivas. Começa de maneira morna e sem sentido e continua assim até a última cena. Não há explicações cabíveis. 


Teve gente que saiu na metade do filme. Um casal do meu lado simplesmente se levantou e foi-se. Uma senhora que estava à minha frente quando terminou o filme saiu xingando e dizendo que perdeu o dinheiro e tempo dela. Não posso culpá-la, pois até hoje me sinto da mesma maneira. Não comprem, compartilhem ou assistam. É daqueles filmes trashs que são horríveis até para assistir. Valorizo um trash ótimo, principalmente dos anos 80 e 90, mas esse trash em questão é horripilante, é perca de tempo mesmo.  

Ao que parece a causadora de todos os problemas virtuais é uma fantasma hacker fodona e poderosa invencível que não precisa de senhas, códigos e não tem nenhuma barreira virtualmente ou humanamente (fisicamente falando) impossível que ela não posso driblar e fazer de fantoche os personagens. Isso talvez seja spoiler, mas me perdoem, tamanha é a indignação de ver um filme com fundo tão bosta. 

Não vi terror. Nem agonia. Nem nada com nada. Vi somente alguns atos de suicídio adolescente e brincadeiras de mal gosto comum entre crianças e adolescentes. Apologia fraquíssima à pornografia e vídeos de mal gosto compartilhados. Sério, a permanência e invencibilidade da fantasma é uma piada com os telespectadores. Caramba, fico até sem palavras e sem comentários para tamanha baboseira. 

Fica aqui minha recomendação para que vocês não assistam e nem passem perto do cinema de sua cidade se este filme ainda estiver em cartaz. Fui tão empolgado para ver este filme, convenci meu namorado a assistir comigo, fomos felizes da vida, foi uma experiência frustrante e broxante. #coragem Sem contar na interpretação dos personagens... na minha humilde opinião, que bosta de atores! Só irritam quem assista, sinceramente! 

Vou nem comentar mais porque já me irrita. Não vejam, obrigado. Polpem seu tempo e vão ver Xena, melhor tempo gasto da vida. Adeus Novembro e venha Dezembro, finally! Contagem regressiva. Beijos e abraços.

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.