10 de dezembro de 2015

{RESENHA} Clube da Insônia - Tico Santa Cruz



Olá meus amigos e amigas do blog. Trago hoje a resenha de um livro que li faz um tempinho e me ganhou principalmente pela parte visual, com um escrita leve e marcante. Vamos começar?


Ano de lançamento: 2012
Editora no Brasil: Belas Letras
Número de Páginas: 104
ISBN: 978-85-60174-93-5

Sinopse: "Na noite, a fúria e a paixão se encontram. O submundo emerge às ruas, evocando gente esquecida que não tem vez nem voz e perambula pela cidade em busca de luz. A noite também é a casa da diversão sem hipocrisia, da embriaguez, da luxúria, das angústias e das reflexões de quem não consegue adormecer antes de a loucura se recolher novamente aos seus abrigos diurnos. De olhos bem abertos, o músico Tico Santa Cruz, líder da banda Detonautas Roque Clube, leva o leitor a um mergulho na escuridão para compartilhar seus medos e seu inconformismo, em textos viscerais que pulsam do início ao fim, madrugada adentro, até o sol nascer."


É um livro de fácil leitura, li o mesmo em um dia. Bem escrito e posso afirmar: está impecável. 

O livro reúne poesias, crônicas, textos reflexivos e outros gêneros literários que o autor sempre com um profundo sentimento, descreve e revela por meio da escrita. Alguns são contos bem mais curtos que outro, crônicas não muito extensas, e algumas histórias que não passam de quatro ou cinco folhas.

Muitos textos me fizeram refletir e pensar em “mundos” que eu jamais parei ou pararia para analisar. Sobre inúmeras reflexões eu gostei bastante do texto “Paz.exe”. Trata de um menino que é criado na rua e não conhece nem a paz, nem o amor. Encontra-se no seu modo mais “selvagem” e “animalesco” de viver. Com uma narrativa surpreendente, o autor nos explica as reflexões e medos do personagem, e como termina sua história. Muito bom!

Não posso deixar de ressaltar o trabalho magnífico que a Editora fez no livro. Cuidou dos mínimos detalhes, das mínimas figuras e ilustrações. Achei essa capa fantástica, e bem delineada. Até o material da folha do livro é motivo de parabéns à Editora. Equipe Belas Letras, meus parabéns. Arrasaram. Diagramação delicada e cheia de ilustrações.

Para primeiro livro, o autor escreve super bem. Com contos, crônicas e textos completos e com bases sólidas. Nunca tinha lido nada do autor e quando terminei o livro já me vi procurando outras possíveis escritas do mesmo. Já quero mais. 

Uma citação que eu gostei bastante foi:

O despertador tocou. Na verdade, não foi bem o despertador. Havia deixado algumas canções rodando aleatoriamente. Em geral, nem durmo com a música, mas havia deitado e estava tão cansado que nem ousei levantar para desligar o som. O despertador veio de um famoso clássico do Pink Floyd. Pouco importa. Meu coração disparou de repente e ela voltou a tentar um diálogo completamente dispensável. Estou realmente sob uma pressão enorme, compreende? Que tipo de pressão? Parece que me espírito engordou uma tonelada em poucos dias. Como seria isso? É de dentro para fora. Como se estivesse se expandindo? Não. Como se estivesse explodindo. Estranho, nunca senti algo assim. Nem eu, por isso te acordei. Entendo, como posso te ajudar? Apenas me escuta. Escuto, pode falar à vontade. Mas eu falo à vontade e você nunca ouve. Não é isso, te ouço sim, porém, tem vezes que você fala tanto que não consigo entender exatamente aonde vai ou quer chegar.” Página:. 10.

Show de bola! Quero mais livros do Tico Santa Cruz, só para apreciar a sua escrita. O autor nasceu no Rio de Janeiro em 30 de setembro de 1977. Cursou Ciências Sociais, Comunicação e Educação Física, mas não concluiu nenhuma das faculdades, resolvendo se dedicar integralmente a sua banda, o Detonautas Roque Clube. Compositor, escritor e poeta, é idealizador do grupo de performance social Voluntários da pátria, que tem como objetivo levar música, poesia e debates sócio-políticos em escolas, universidades e penitenciárias. Clube da insônia é seu primeiro livro. 

Minha recomendação é para que leiam, deem uma chance. Tive a impressão de que o autor está lendo conosco o livro. De tão real que é sua escrita. Um lindo abraço.

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.