13 de dezembro de 2015

{RESENHA} Os Herdeiros dos Titãs - De Lutas e Ideais - Eric Musashi


Olá leitores lindos! Trago hoje para vocês a resenha de um livro nacional do autor Eric Musashi chamado "Os Herdeiros dos Titãs - de lutas e ideais." Espero verdadeiramente que vocês gostem e leiam esta obra maravilhosa. Comecemos. XD


Autor: Eric Musashi
Número de páginas: 352
Editora no Brasil: Giostri
Lançamento: 2010
Edição: 1

Sinopse: "OS HERDEIROS DOS TITÃS narra o período decadente de uma civilização de quatro mil anos, quando dos desmandos de uma Rainha-Deusa e seus sacerdotes, ditos imortais. DE LUTAS E IDEAIS, a primeira parte dessa aventura, apresenta o drama familiar de Téoder, maior herói de seu tempo, mas que foi levado a assassinar a própria esposa por ordem da Rainha. Arion, seu filho, é um revolucionário que evita o pai a todo custo. Mas quando ele passa a fugir das autoridades, deixando um rastro de sangue pelo caminho, um reencontro se torna cada vez mais necessário, trazendo à tona feridas antigas provocadas por um crime imperdoável."


Logo quando terminei de ler o livro, corri para frente do computador e fiquei olhando para a tela. Sem ação. Sabe quando você encontra e lê uma história super original, cheia de personagens, e dimensões únicas, e depois tenta passar para a escrita e fica perdido? Foi meu caso logo de primeira. 

Eric Musashi nos traz um universo fixo, com noção de tempo e ideologias próprios. Antes de tudo vou começar a falar do projeto gráfico e de toda essa arte visual que na maioria das vezes nos seduzem ao invés do conteúdo propriamente dito (quem nunca comprou um livro pela capa né? ♥)



A arte gráfica da capa é bem feita, porém, achei um pouco fraca. Para mim, uma capa deve contar e se relacionar com a história, deve ter algo a ver com o livro, sutil detalhe que eu não consegui assemelhar com a trama. E a cor não ajudou a capa. Dou 3 estrelas para A CAPA. As letras são um pouco pequenas, o que é bem característico de leituras fantásticas (meu forte) e folhas amareladas. Todos os capítulos são devidamente organizados e bem intitulados, tanto o autor como a Editora Giostri fizeram um ótimo trabalho.

Indo para a história em si, o autor realmente é bem inteligente. Criou passagens longas (algumas demoradas, outras nem tanto), uma riqueza de detalhes imensurável nos trechos da obra e ainda deu um toque épico maravilhoso aos personagens e a estória. 

Alguns leitores “reclamaram” um pouco do início da obra e sua filosofia “lenta”. Não senti isso. Pelo contrário, por ser um mundo próprio, um tema fantástico, e super diferente do comum que estamos acostumados a ler, temos que nos acostumar com a história, e assimilar ou mesmo criar um vínculo de entendimento com os personagens. 

O começo um pouco devagar, em minha opinião, foi bem estratégico, facilitando assim nosso “apego” com a estória. E outro detalhe: você deve parar sua mente e se dedicar a leitura somente do livro, se não fatos podem passar despercebidos, datas podem ser confundidas, e lugares não memorizados. É uma trama um pouco complexa, você literalmente deve parar para ler.

Quanto à descrição de cenários, e cenas de luta, eu tive que parar algumas vezes a leitura para “respirar”. Não para desistir. Eu amo a riqueza de minuciosos fatos que só uma história fantástica pode nos dar. Detalhes e pequenos elementos, me cativaram, fazendo assim, eu querer criar minha própria história fantástica. (Aiai, sonho...) 




Existe toda uma “supremacia” e castas de poder entre personagens e seus títulos de força, e honra. Alguns pontos cruciais foram deixados em aberto pelo autor, que creio eu, serão todos resolvidos e explicados no segundo e último volume da saga, o livro: ”A Mão do Destino”. Todo final de capítulo, foi escrito de uma forma que nos “chama” para lermos o capítulo seguinte. Sempre terminamos com um gostinho de quero mais. Dou 4 estrelas para o livro num todo. Recomendo.

Acho que o segundo volume da saga vai ficar ainda melhor que o primeiro, se chama "A Mão do Destino". E a capa está fenomenal, dá de 10 a 0 na capa do primeira livro. Deem uma olhadinha:



Compre o livro: Livraria Cultura | Saraiva | Cia dos Livros. Alguém aqui já leu este livro? Vamos conversar sobre o mesmo. Um abraço literário e ótimas leituras. <3

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.