6 de março de 2016

{FILME} Os Oito Odiados de Quentin Tarantino



Eis uma resenha de filme que não sei nem como começar a escrever. Filme difícil de destrinchar sem revelar spoiler. Vou logo pedindo a paciência de vocês para o caso de eu esquecer algo ou fazer uma resenha um pouco superficial, Por favor, não estranhem ou reclamem. Podemos dar spoilers nos comentários. Vou tentar falar direitinho. Comecemos. 


Nome: Os Oito Odiados (The Hateful Eight, em inglês)
Data de Lançamento no Brasil: 07 de Janeiro de 2016
Direção: Quentin Tarantino

Roteiro: Quentin Tarantino
Música composta por: Ennio Morricone
Duração: 167 minutos
Alguns nomes do elenco: Samuel L. Jackson, Kurt Russell, Jennifer Jason Leigh, Walton Goggins, Tim Roth, Demián Bichir, Michael Madsen, Bruce Dern.

De acordo com a sinopse: "Durante uma nevasca, o carrasco John Ruth (Kurt Russell) está transportando uma prisioneira, a famosa Daisy Domergue (Jennifer Jason Leigh), que ele espera trocar por grande quantia de dinheiro. No caminho, os viajantes aceitam transportar o caçador de recompensas Marquis Warren (Samuel L. Jackson), que está de olho em outro tesouro, e o xerife Chris Mannix (Walton Goggins), prestes a ser empossado em sua cidade. Como as condições climáticas pioram, eles buscam abrigo no Armazém da Minnie, onde quatro outros desconhecidos estão abrigados. Aos poucos, os oito viajantes no local começam a descobrir os segredos sangrentos uns dos outros, levando a um inevitável confronto entre eles."


Escrevendo de maneira bem não crítica, só como um mero expectador, no início fiquei impaciente. Eu e a metade do cinema. hahaha. Senti o filme BEM arrastado e confuso. Muito mesmo. Tanto que só depois da metade do filme para o final é que comecei a entender algum meado do filme. A cara das pessoas na sessão de confusão foram as melhores. Fui com meu namorado e ele também não entendeu nada até a metade para o final do filme. Se fosse só eu, eu ficava calado, hahaha. 

É bem confuso especialmente por conta dos personagens confusos. Demora MUITO a se desenrolar cada cena. São diálogos intermináveis, conversas paralelas e acontecimentos no mínimo estranhos. Como a nevasca repentina e toda hora chegando gente nova para ficar numa cabana aparentemente sem dono. Um dono que nunca sai da estalagem e milagrosamente sai quando tem o maior número de clientela dos últimos tempos. 

Tirando estes detalhes técnicos (e quase imperceptíveis, hahaha) o filme é excelente. Sabe aquele tipo de filme bem feito? Aquele que demora quase duas horas, mas cumpre o que promete? Pronto. Foi este filme. Fui assisti-lo no cinema sem saber nadica de nada sobre o mesmo, não tinha lido nem sinopse, resolvi arriscar e ver o que iria achar. 



O filme é classificado dentro do gênero de drama, faroeste, mistério, thriller. E cumpre com excelência todos estes enquadramentos. Há muito mistério, muito drama, muito thriller, muito faroeste. Caras duros, gente arrogante e cuspidor ambulante. Tudo no clássico faroeste, só que no meio de uma nevasca e tempestade de gelo feroz. A classificação indicativa é de 18 anos. 

Há muito sangue, muita matança, muito bang bang. Quem gostar deste tipo de filme vai amar. Os momentos de ação são bem tensos e ai que comprovamos na pele o thriller. Realmente acontece esse choque no telespectador. Achei linda a cabana em questão. Por dentro e por fora. Que lugar lindo! *-*

Um ponto mais do que positivo, espetacular que tenho que frisar, foi a fotografia e gravação no geral. Vamos por partes. Na parte da gravação não tive do que reclamar. Não teve aquela pegada rústica, nem tremores de câmera (que você acaba percebendo depois de um tempo e é a coisa mais chata do mundo), não teve mudanças abruptas de movimento. A mudança de uma cena para outra foi de primeira linha. 

Sobre a fotografia não tenho nem palavras para descrever a perfeição. A singularidade e qualidade. Eu passei do inicio ao fim do filme admirando o lugar das gravações, admirando a qualidade de imagem. O brilho da imagem. A fotografia geral, a luminosidade. Fiquei encantado e senti MUITA inspiração a cada minuto que passava. Eu já pensava em chegar em casa, ligar o computador, abrir a página de post em branco e começar a escrever loucamente. Me inspirei muito mesmo. Fotografia nota máxima. Extraordinária.



As atuações foram inspiradoras e para lá de bem executadas. Atores excelentes, principalmente alguns no papel de bandidos e meio caipiras, onde cada expressão, cada sorriso, cada piscadela e levantar de sobrancelha, a gente vê o profissionalismo e a credibilidade merecida. A atuação da mulher acorrentada do início ao fim no filme (e isto não é nenhum spoiler) é fantástico. Até o final ela é espetacular. Debochada e cínica na medida que o personagem dela requer.

No mais foram estes pontos que eu quis escrever para vocês. Espero que não tenha ficado uma resenha tão vaga. E espero não ter soltado nenhum spoiler. Alguém aqui já assistiu este filme? Quanto merece de classificação? 0, 3, 4, 5 estrelas? Vamos conversar. <3

Até o próximo filme (há tanto ainda para escrever, rs).

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.