7 de março de 2016

O cuidado que devemos ter com algumas coisas (e pessoas)



E mais um mês de 2016 está indo embora para nunca mais voltar. Fevereiro demorou a acabar, não foi? Considerando que este mês tem a quantidade de dias inferiores a qualquer mês do calendário. Pois é.

Para finalizar este mês trago hoje um post de reflexão. Reflexão sobre o cuidado que devemos ter com algumas coisas e pessoas. Não coisas relacionados a objetos. Coisas como sentimentos e atitudes. Neste caminho. Esqueça o material neste post. 

Devemos ter cuidado no que falamos, escrevemos, comentamos. Somos sempre mal interpretados e há uma nuvem de espiões e curiosos à espreita para nos crucificar, nos julgar, nos denegrir a imagem. Sempre. Ah, e curiosos com câmeras de última geração. O mesmo acontece conosco. Devemos ter cuidado para não julgar, não apontar, não emitir falsos juízos. Não perpetuar mentiras ou difamar alguém. 

Que possamos ter cuidado com o sentimento das pessoas. Saber que assim como você e eu, quem nos relacionamos (seja qualquer tipo de relacionamento), o outro também tem sentimentos a todo instante. Respeitar sempre o próximo. Respeitar as diferenças. Respeitar as crenças. Respeito não é concordância. Nem tudo é preconceito. Nem tudo é aceitação. 

Quando formos emitir quaisquer pensamentos, saber ver que tudo tem mais de uma versão, mais de um lado da moeda. Sempre tentar abranger a maioria, pois nem tudo que é igual para mim, é igual para outra pessoa. Amar as pessoas com sinceridade. Amar com compaixão. Com respeito. Com verdade. Pode ser feia como for: devemos colocar automaticamente no pensamento que cada pessoa é de um jeito e tem uma história. Não cabe a nós interferir ou achar feio ou bonito. Minha opinião é minha opinião. Sua opinião é sua opinião. E assim a gente tenta conviver bem.

Guardei boas memórias de Fevereiro e algumas reflexões mais que não cabem escrever aqui neste simples post. Fica aqui a organização destes pensamentos embaralhados e uma promessa de um futuro melhor e mais humano. Um futuro que não vê altura, gordura, magreza, mas que vê humanidade, pessoa, ser limitado e frágil. Carente. Que precisa de orientação ou uma palavra amiga. 

Adeus, Fevereiro. Fostes bom enquanto duraste. 
Já te dou boas vindas, Março. Até breve.

Ps: amanhã o último post deste mês será a resenha de um filme que gostei bastante. <3

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

2 comentários:

  1. Olá Ewerton, excelente post! Disse tudo.

    Suas palavras mostram sua nobreza como ser humano.
    Se todos pensassem assim, o mundo seria muito diferente e estaríamos muito melhor.
    Um abraço e continue fazendo diferença!

    Tive uma lição aprendida nesse mesmo sentido e é tão bom quando as pessoas se aceitam mesmo com falhas, mesmo tendo divergências, isso dá o espaço para aprender melhor do outro a entender melhor a escolha de cada um e respeitar e admirar cada caminho diferente.

    Beijos;

    Juliana Sabino - Garota Empreende.
    http://www.garotaempreende.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem me diga! Muitíssimo obrigado minha flor. Com certeza se fosse nessa ótica
      (ou pelo menos parte dela) muitas coisas seriam melhores neste planeta. Até lá vamos sendo um grão de areia no deserto e vamos fazendo nossa diferença. Um dia vemos a mudança acontecer de forma mais massiva.

      Beijo grande, volta logo.

      Excluir

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.