6 de março de 2016

{RESENHA} O Casamento – Nicholas Sparks


Olá leitores vorazes, tudo bom com vocês? Trago hoje a resenha de um livro que me emocionou bastante: O Casamento do aclamado escritor Nicholas Sparks. Bora conferir a resenha? #GO


Número de Páginas: 224
Ano de Lançamento: 2012
Editora no Brasil: Arqueiro
ISBN: 978-85-8041-056-3

De acordo com a sinopse: "Advogado de sucesso, Wilson Lewis sempre se esforçou para que a família vivesse confortavelmente, mas talvez tenha dedicado tempo demais ao trabalho e de menos às pessoas mais importantes de sua vida. Depois de 30 anos casado e com a filha mais velha prestes a fazer os próprios votos matrimoniais, ele é forçado a encarar uma verdade dolorosa: já não há paixão em seu casamento - e a culpa é dele. Wilson e sua esposa Jane se afastam cada dia mais e ele questiona se a mulher ainda o ama. Uma coisa é certa: seu amor por Jane só aumentou ao longo dos anos e ele está disposto a fazer o possível para reconquistá-la. Inspirado pela maravilhosa história de amor dos sogros, Noah e Allie (de Diário de uma Paixão), ele promete a si mesmo que encontrará uma forma de levar o romantismo de volta à sua vida conjugal e fazer a expôs apaixonar-se por ele novamente."

Mesmo não sendo muito fã da diagramação da Editora Arqueiro, não pude deixar de ler O Casamento do Sparks. Como vocês já devem saber, eu sou muito fã da escrita do autor, e por consequência procuro ler todos os livros do mesmo que eu puder (risos).  Sei que pode ser exagero, mas quem é fã é fã, né? Já sabe.

O livro trata da história de Wilson Lewis que depois de anos e anos de trabalho, vê sua vida conjugal e matrimonial – mesmo tendo resistindo a tantos anos – se dilacerando e os sentimentos de sua esposa se findando para com ele. Wilson percebe que ao longo dos anos deixou uma ausência muito grande em sua família. Trabalhador incansável, sempre procurou dar o conforto necessário à Jane (sua esposa) e aos seus filhos, não percebendo assim a falta de afetividade e carinho.

Depois de inúmeras visitas à Noah (pai de Jane), Wilson se faz a seguinte pergunta: Será que a minha mulher ainda me ama? Depois dessa indagação, ele procura “reatar” o seu casamento e promete a si mesmo fazer Jane voltar a amá-lo como antes. Pois Wilson nunca deixou de amá-la, pelo contrário, conforme os anos iam passando ele sempre a amava cada vez mais.

Aos poucos Wilson se vê romântico, conquistador e um completo adolescente, só que bem mais maduro e destemido sentimentalmente. Jane – infeliz no começo – aos poucos começa a ceder espaço e vê com outros olhos o homem que ela estava casada havia tantos anos. Não posso revelar o final, claro, mas digamos que me surpreendeu. Sério mesmo. O Wilson se torna um verdadeiro ~Deusgrego~ e faz coisas maravilhosas para Jane.

Por um lado é um pouco triste olhar a situação de Noah, em como ele está vivendo sem Allie, seu amor – quem leu Diário de Uma Paixão sabe – e todas as dificuldades de saúde que ele enfrenta. Muitos ensinamentos sobre a vida nos são passados nesse romance.

A diagramação da Arqueiro é simples, cada começo de capítulo e pausa entre cenas é marcado por um detalhe pequeno e o tamanho da fonte é razoável. Não encontrei nenhum erro de concordância ou ortografia errada. E a capa achei linda, ganhou pontos positivos comigo. Amo capas “divididas” em duas partes. <3

Foi uma leitura um pouco “vaga”, se bem dizer não muito completa, até por ser a leve continuação da história de Noah e Allie em Diário de uma Paixão. Gostei bastante. EU recomendo, achei um delicioso romance, bem na linha clichê do autor. Quem aqui já leu este livro? Vem conversar comigo!

Até breve, abraços literários.

Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.