27 de julho de 2017

“Cada um terá a vista da montanha que subir” 💎🦋🍀🌿


Para realizar tudo o que quero, do jeito que eu preciso, terei de olhar tudo o que estou a fazer de jeito muitíssimo imparcial e especial. Só consigo fazer isso me afastando de áreas que estão obsoletas na minha vida. Áreas que estão mais atrapalhando do que me ajudando, áreas que estão me confundindo mentalmente e causando errado desequilíbrio físico, mental, emocional e espiritual.

Tem sido assim com meus blogs em seus formatos atuais. Não tenho tido prazer nenhum em ser blogueiro do modo que estou sendo atualmente. Preciso de foco na minha roda da vida e com isso preciso olhar com uma visão ampla da minha realidade. Não estou do jeito que quero, não em sua grande parte, não estou satisfeito com esse layout (não está me representando), essas fontes me agoniam, os textos não estão mais de acordo com a visão que quero passar para vocês e tudo isso tem pesado, amigos.

Confesso que minha vida (assim, creio eu, como a de ninguém) se resume somente a blogs. Sim, é óbvio, porém sempre é bom dizer que somos muito mais do que páginas e textos na internet. Estou fazendo esse post porque estou cansado de ver meu blog desatualizado, ver pessoas acessando e não ter conteúdo novo e por não dar uma explicação com classe a vocês. Eu poderia estar postando de qualquer maneira, com uma linguagem cretina e fazendo esse cantinho ir “para frente” de qualquer jeito no quesito atualizações.

Entretanto, sou muito verdadeiro naquilo que faço ou que me proponho a fazer. Sou muito 100% tudo ou 100% nada. Isso tem seu lado bom e seu lado ruim. No momento, tem sido mais ruim do que bom. Não me vejo mexendo no blog com tantas perspectivas boas se ele continuar do jeito que está. Preciso de tempo, muita calma e muita inspiração (minha criatividade nunca me abandona, felizmente) para repensar conceitos, me achar como ser humano, voltar à minha essência com o meu novo olhar, o meu novo eu. E isso tudo tem que refletir no meu blog, nas minhas mídias sociais.


Para eu fazer dar certo e transcender as limitações do meu eu mais digno e profundo, preciso dessa pausa, preciso dessa clareza. Meu coração pulsa e digo isso sem exagero, de excitação na tentativa de me encontrar novamente. Preciso descansar e alimentar meu leão interior novamente e com isso trazer amor e intensidade na sua forma mais simples e poderosa para vocês. Estou com tantos projetos engavetados, ideias boas anotadas, lutas internas para serem vencidas, encontro pessoal que não pode mais ser adiado.

Não quero levar este barco se for de qualquer maneira. Não quero deixar vocês que me acompanham sem uma conversa. Vou ficar ausente por um tempo, essa pausa não é por tempo indeterminado. Eu vou voltar antes do que vocês imaginam. Eu preciso parar e refletir sobre como vou lidar com o blog daqui para a frente, como será sua nova carinha, como vou fazer tudo daqui em diante com as outras áreas da minha vida.

Vocês creem que está tudo uma bagunça para mim? Não estou conseguindo ter clareza com quase nada, meu mundo offline e meu mundo online, ambos, não estão do jeito que quero. Nem agora, nem mais para a frente se continuar do jeito que está. Eu quero aliar minha visão otimista com minha visão realista. Isso é tão desafiador. Ser sonhador e ser pés no chão, colocar a mão na massa, trazer revolução com novos hábitos e novas atitudes.

Minhas aulas no novo período da faculdade estão para começar semana que vem e ainda não me organizei, não tirei a poeira das coisas que eu quero mudar. Preciso me concentrar em algo sólido, para ir aos poucos, resolvendo pendência por pendência. Não sou minha pessoa faz um longo e demorado tempo e venho trazendo isso para áreas da minha vida que não precisam se misturar com esse tipo de coisa. Deixando interferir e não estou tendo o mínimo controle.


Sempre fui muito planejador, pronto para a batalha, fiel em enfrentar minhas dificuldades, com olhar crítico e imbatível daquilo que acredito. Me superar a cada a desistência sempre me motivou a não olhar para a mesma, sempre conquistar. Nunca fui de largar sem uma boa luta. Sempre tento alinhar minhas palavras com minhas ações. Todavia, ultimamente, não tenho sido eu mesmo.

Algumas negatividades me fizeram enxergar que preciso me curar de algumas feridas e pensamentos antes de continuar 100%. Percebo que está tudo bem em se afastar um pouco, em se dar um tempo, vejo isso como essencial na verdade, tão importante quanto fazer acontecer em qualquer área da sua e da minha vida. Esse texto ao mesmo tempo que é pulsante, é motivador. É encorajador. Para mim, para vocês. Não tenho me dado o egoísmo necessário para me doar aos outros. Tenho sido péssimo em minhas medidas em vários sentidos.

Vou parar, por um breve momento, com as atividades em todos os meus blogs. Vou me regenerar, hibernar (quando se trata de repensar o que estou fazendo com essa magnitude chamada minha vida) e ver onde meu drama está me levando. Me reinventar, ir em buscar não de um lugar e sim de uma pessoa: eu mesmo. Não são só os blogs que vão ter uma pausa.

Minha pausa será com 90% das coisas que faço atualmente e que estão me desagradando. Essa semana recarreguei muita das minhas energias essenciais com uma viagem curativa que fiz para o interior do meu Estado. Vi que é de tudo aquilo que eu preciso para pôr minha mente em ordem, para ver com objetivo, significado e clareza onde quero chegar, o que quero “conquistar”, e ir em busca disso com muito planejamento e ousadia. Não estou conseguindo me submergir dessa maneira de cabeça, pois já estou em outro redemoinho. O redemoinho errado.

Vou estudar alguns conhecimentos que serão essenciais para o meu crescimento interno e externo e com isso vou estar mais preparado para lidar com toda essa demanda aqui e outras que estou afastando por um tempo. Existem falas cruciais nesse texto, caso você não tenha entendido muito bem, sugiro uma releitura se for possível. O sutil toque de reflexão foi escrito com muito carinho, leveza e confiança. É dessa essência, desse perfume que estou em busca. E eu sei que o que eu definir de agora em diante, vai revolucionar a minha vida. Você tem sido leal a si mesmo e ao que você acha significante?


Até logo, um abraço emocionado.
Ewerton Lenildo
Ewerton Lenildo

Garanto tudo, menos dignidade. Sou o furacão dos dias mansos e a brisa das trovoadas. Gosto dos detalhes e dos temperos fortes. Tudo o que eu faço na minha vida, faço com supremacia. Onde escrevo: o Viajante das Letras e o Vegano Recifense. 🌲 🌳 🌴

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Laços atemporais

Não tenho para onde fugir. Desde sempre quando falo de livro, em livro, com livro, meu coração transborda de amor e vício louco. Quando passo numa banca de DVDs não consigo deixá-la de lado. Tenho que ir, ver, comentar, compartilhar, abraçar. Esta categoria representa tudo o que implica a minha mais alta motivação. Sou bibliófilo, cinéfilo de carteirinha. Passo horas em pé na livraria e perco a noção do tempo. Falar de coisas boa me dá combustível para viver e esta categoria está recheada de presentes bons. Saiba mais aqui.

Festim enigmático

Sempre estou em festa quando falo sobre tecnologia, relacionamentos, inspirações, etc. É isto o que esta categoria representa. Queria um nome que representasse festa, ao mesmo tempo que me inspirasse e a palavra "enigmático" cai como uma luva. Trata de uma euforia que não consigo ignorar. Saiba mais aqui.

Atauúba atiaîa

Eu estava procurando uma maneira de homenagear os povos indígenas de alguma forma no meu blog. Pouquíssimas pessoas sabem, mas recentemente descobri que tenho descendência indígena de bem próxima o que me deixou mais apaixonado e agradecido ainda. Procurei algo mais geral, pois é sabido que há inúmeras tribos espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Procurei algo em tupi guarani (língua em que o nome da categoria está escrita) e achei a combinação de duas palavras. Atauúba (flecha incendiária) Atiaîa (raio de luz que reflete luminosidade). O termo Atauúba atiaîa significa a modo grosso "flecha incendiária de luz" e é tudo o que esta categoria representa para mim quando falo de organização, estudos, etc. É uma maneira mínima de honrar nossos irmãos indígenas ainda hoje tão maltratados, perseguidos e injustiçados. Saiba mais aqui.